Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Vapor dos cigarros eletrónicos pode matar as células que revestem as vias aéreas

Sociedade

Diana Haronis/Getty

Numa altura em que os EUA estudam a hipótese de banir a venda de líquidos com sabores, mais um estudo revela a falta de regulação no seu fabrico e os danos que podem causar

Investigadores da Universidade de Adelaide e do Royal Adelaide Hospital, na Austrália, estudaram o efeito do vapor (fumo) provocado durante a utilização de cigarros eletrónicos e chegaram à conclusão que este é tóxico e pode causar a morte de células das vias respiratórias.

O estudo foi publicado na revista médica Respirology e analisou os efeitos dos componentes usados nos líquidos que se colocam nos cigarros eletrónicos e as consequências nas células do epitélio respiratório – a mucosa que reveste grande parte das vias respiratórias, e que vai desde a cavidade nasal até aos brônquios, cuja função é filtrar, aquecer e humidificar o ar que respiramos.

Os cientistas pedem que o governo intervenha, nomeadamente através de regulamentação para o fabrico dos líquidos, assim como para as quantidades dos químicos que são utilizadas na sua produção. Nas três amostras analisadas, todas com aroma de maçã, foram encontradas substâncias químicas diferentes para dar o sabor pretendido.

“Os cigarros eletrónicos devem ser utilizados com muita cautela”, avisam os investigadores.

Recorde-se que estes dispositivos têm estado debaixo de fogo desde que a Food and Drug Administration (a agência americana que fiscaliza e regulamenta os medicamentos) mandou retirar do mercado alguns líquidos com sabores depois de oito pessoas terem morrido e outras 500 terem sido diagnosticadas que se suspeitas estarem relacionadas com este tipo de cigarros.

A Administração Trump está mesmo a pôr a hipótese de banir todos os líquidos com sabores do mercado norte-americano.

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.