Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

19 horas de viagem num avião: estará o corpo humano preparado para a maratona?

Sociedade

Cameron Spencer/ Getty Images

Atualmente, a viagem de avião mais longa do mercado liga Singapura a Nova Jersey – são 18 horas e 30 minutos com a cortesia da Singapore Airlines. Mas a australiana Qantas Airways quer bater o recorde: as 19 horas consecutivas que separam Sydney de Nova Iorque ou Londres

Já se imaginou no ar durante 19 horas consecutivas? Para perceber se é humanamente possível e seguro, a companhia aérea australiana Qantas Airways vai realizar três testes de voo entre Nova Iorque (dois) ou Londres (um) e três cidades australianas, Sydney, Brisbane e Melbourne. O testes decorrerão nos meses de outubro, novembro e dezembro deste ano.

A questão que se coloca é: estaremos preparados para tamanha jornada? Apoiados pelo governo australiano, investigadores do instituto Charles Perkins Centre, da Universidade Monash e do centro de investigação Alertness Safety and Productivity, vão examinar o impacto da viagem nos passageiros.

Os passageiros da cabine principal irão utilizar dispositivos de monitorização para que os especialistas do Charles Perkins Centre analisem como o corpo é afetado por um conjunto de variáveis, tais como a iluminação, a comida e bebida, o movimento, o padrões de sono e entretenimento durante o voo.

Já os cientistas da Monash University vão canalizar as atenções para a tripulação, não só registando os seus níveis de melatonina antes, durante e depois dos voos, mas também anlisando dados das ondas cerebrais através de dispositivos de eletroencefalograma usados pelos pilotos.

Os relatórios serão depois enviados para a Civil Aviation Safety Authority, no sentido de ajudar a construir os requisitos obrigatórios associados aos voos de longo curso.

Num comunicado à imprensa, Alan Joyce, CEO do grupo Qantas, afirma que "os voos de longo curso apresentam muitas questões sobre o conforto e o bem-estar dos passageiros e da tripulação. Estes testes fornecerão dados para ajudar a respondê-las."

"Para os clientes, a chave será minimizar o jet lag e criar um ambiente onde possam esperar um voo tranquilo e agradável. Para a tripulação, trata-se de usar pesquisas científicas com intuito de determinar as melhores oportunidades para promover o alerta quando estão em serviço e maximizar o descanso durante o tempo de inatividade" acrescenta.

Bjorn Fehrm, analista aeronáutico, explicou à CNN que “é mais barato para uma companhia aérea fazer dois voos separados, mas algumas pessoas estão preparadas para pagar o preço extra do bilhete [de uma viagem direta]".

Estas novas viagens vêm responder, sobretudo, às necessidades dos que se deslocam em negócios ou em trabalho. "Podes planear tudo para voar durante a noite, e para chegares e efetivamente teres um dia produtivo no dia seguinte" afirma.

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.