Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Os truques para não "morrer" de nervos a falar em público, por quem sabe

Sociedade

DR

Eis as dicas dos oradores das TED Talk’s, as conferências inspiradoras mais famosas do planeta

A culpa é da ansiedade que cresce cá dentro, uma inquietação que pode tornar a experiência bastante stressante, até para o mais experiente dos oradores. Ora, sublinham os especialistas, há truques que se podem usar – e que podem ser aplicados a qualquer situação que envolva falar diante de um grande grupo de pessoas.

Antes de mais, como dizem os curadores do TED aos seus palestrantes, há algo que nunca deve esquecer: “todos aqui estão do seu lado”. “É uma técnica muito eficaz, pois aborda a principal causa da ansiedade”, salienta a terapeuta da fala Jacqueline Hulleman, citada pelo Business Insider, “que é o risco de ser rejeitado”. Ou seja, mesmo que antes de subir ao palco, tenham passado por lá as pessoas mais fascinantes, envolventes e talentosas, no fundo todos querem que lhe corra bem. “Sobretudo porque isso também contribui para o sucesso de um encontro destes”.

Comecemos pela postura. Pode sempre adotar uma pose de poder. De pé, mas com as pernas afastadas, os braços ao longo do corpo e as costas direitas. Será eficaz para aumentar os níveis de testosterona – e esta hormona, sabemos, contribui para se sentir mais assertivo, mais capaz de lidar com as críticas e mais capaz de se apresentar.

Há, claro, outras técnicas: praticar vezes infindas o mesmo discurso, fazer meditação regularmente e visualizar o palco são também dicas muito populares para aqueles que não são os maiores fãs de falar em público.

Tenha em atenção que estas práticas não vão propriamente reduzir o seu receio, mas acalmam os nervos – e é isso que fará a diferença se quiser parecer relaxado em palco. “O maior receio de um orador”, assumiu o coach Ruud Van Den Berg, “é que as pessoas fiquem a pensar que ele não é competente o suficiente”.

Ou que não é bom o suficiente, que não sabe tudo sobre um assunto. Façamos então o exercício ao contrário. Imagine que entre o público há quem tenha tido de fazer um grande esforço para o ouvir. Talvez tenha tido de percorrer um longo percurso. Ou comprado um bilhete demasiado caro para o seu orçamento. E agora estão aí à sua frente, dispostos a gastar um pouco do seu tempo consigo.

Basicamente, você quer ter certeza de que tem algo interessante para dizer e ser um grande orador – e isso, acredite, a sua audiência também o deseja. Daí que possa depois passar então ao momento seguinte: pensar no seu público como seu apoiante. Procure, então, um rosto amigável e foque-se nele. E agora, ainda está a achar toda a experiência um pouco menos stressante?

Essa é, pelo menos, a opinião de Chris Anderson, o principal mentor das TED Talks, citado pela Quartz: “Acredito que pode ser útil procurar alguns rostos mais amigáveis entre o público. Se o conseguir fazer em três ou quatro pontos diferentes, faça a conferência para eles, movendo o olhar de uns para outros. Todos na plateia acabarão por ver que está focado na audiência. E o encorajamento que receberá desses rostos hão de lhe trazer calma e confiança."

E se gaguejar, ou se enganar, acredite que isso pode ser mais um ponto a seu favor. “As audiências são muito compreensivas com quem está nervoso, sobretudo se encontrar uma maneira de o reconhecer,” remata Anderson, a lembrar que não há problema algum em dizer. “Desculpem, estou um pouco nervoso”.

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.