Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Gritos de prazer? Não, não são os vizinhos... são os ouriços

Sociedade

Philartphace/ Getty Images

Os serviços de emergência alemães estão a ser chamados frequentemente a intervir por causa dos casais de ouriços, extremamente barulhentos durante a época de acasalamento, e que produzem sons facilmente confundidos com os dos humanos durante as relações sexuais. Nas redes sociais, já nasceu a hashtag #igelsex (sexo de ouriço)

A polícia em Augsburgo foi recentemente chamada a uma escola primária, durante a noite, depois de os vizinhos se queixarem de ruídos suspeitos, vindos do recreio, e de uma luz de segurança ter sido ativada. As autoridades identificaram rapidamente os culpados pelo ruído: dois ouriços a acasalar.

"Os ruídos suspeitos foram logo detetados como vindos de um casal de ouriços no meio de um ritual de acasalamento", escreveu um inspetor da polícia no relatório da ocorrência, intitulado "Intrusos idiotas", acrescentando que os ouriços não foram perturbados, tal como os especialistas na espécie aconselharam.

Estranhamente, este não foi um caso isolado - a polícia alemã é frequentemente chamada, nos meses de verão, com denúncias semelhantes. Segundo a revista Der Spiegel, os ouriços estão entre os animais noturnos mais barulhentos, competindo com cigarras e os sapos.

Os ouriços são capazes de fazer uma variedade de sons, desde um murmúrio silencioso até assobiar, rosnar, murmurar, assobiar, estalar e até gritar alto, o que às vezes faz com que sejam confundidos com humanos. "Os ouriços rosnam muito alto durante o ritual de acasalamento, que dura horas, e os machos são os que fazem mais barulho", explica o especialista em ouriços da Faculdade de Veterinária da Universidade Ludwig Maximilian em Munique.

Apesar de poderem ser incomodativos, não devem ser perturbabos, uma vez que as populações de ouriços diminuíram drasticamente nos últimos anos e estão ameaçadas.

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.