Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Youtuber de seis anos compra uma casa de 7.2 milhões de euros com as receitas dos seus canais

Sociedade

Boram Tube Vlog

Boram, uma youtuber sul-coreana de seis anos, comprou no início deste ano uma casa no valor de cerca de 7.2 milhões de euros com as receitas dos seus canais em que faz críticas a brinquedos e vlogs

Pedro Dias

Pedro Dias

Jornalista

Com apenas seis anos de idade, Boram já é considerada uma “estrela” do Youtube. Os seus dois canais na plataforma – um em que revê e brinca com vários tipos de brinquedos e outro em que faz vlogs do seu dia-a-dia – somam já 30 milhões de subscritores e já lhe renderam o suficiente para comprar uma mansão de cinco andares no bairro de Gangnam, em Seoul, onde residem alguns dos sul-coreanos mais ricos do país.

A compra foi feita pela empresa Boram Family, relata a CNN, criada pelos pais da pequena youtuber com o objetivo de gerir a agenda, as publicações e os contratos de publicidade das marcas com a filha; e custou 9.5 mil milhões de won (cerca de 7.2 milhões de euros).

A youtuber tem presentemente dois canais ativos em seu nome, o Boram Tube ToysReview [보람튜브 토이리뷰], com 13.6 milhões de subscritores, em que experimenta e faz críticas a brinquedos, e o Boram Tube Vlog [보람튜브 브이로그], com 17.8 milhões de subscritores, onde faz vlogs semanais.

Boram volta a ser notícia ao ser a youtuber mais nova de sempre a comprar uma casa, depois de algum do seu conteúdo já ter sido alvo de polémica na Coreia do Sul. Em 2017, a ONG americana Save the Children recebeu várias queixas de cidadãos sul-coreanos que achavam que os vídeos de Boram podiam causar um impacto negativo no desenvolvimento ético e emocional das crianças, o público-alvo do canal.

Em causa estavam clips que mostravam Boram a roubar dinheiro da carteira do pai e em que simulava conduzir carros na estrada. A ONG reportou os vídeos às autoridades sul-coreanas, que determinaram que os pais de Boram deviam completar sessões de aconselhamento destinados à prevenção de abuso infantil. Os vídeos em causa foram posteriormente apagados do canal.

Em fevereiro do ano passado o Youtube passou a proibir comentários a vídeos de canais com menores de idade, depois de serem levantadas questões acerca da saúde mental das crianças criadoras de conteúdo e do alegado contacto com pedófilos.

Os canais mais rentáveis do Youtube pertencem maioritariamente a gamers, mas a personalidade que no ano passado mais lucro gerou através do seu canal foi Ryan Kaji, outro youtuber com um canal de críticas a brinquedos, com sete anos de idade. Segundo a Forbes, Ryan ganhou aproximadamente 22 milhões de dólares (cerca de 19.7 milhões de euros) no último ano graças às visualizações de mais de 20.8 milhões de subscritores do seu canal Ryan ToysReview.

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.