Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Investigação ao desaparecimento de Maddie McCann já tem novos fundos aprovados

Sociedade

Os pais de Maddie, que sempre defenderam a tese do rapto, agora remeteram-se ao silêncio: não participaram no documentário da Netflix nem quiseram visioná-lo antes da sua divulgação

Miguel Villagran / GettyImages

O governo britânico estendeu, mais uma vez, os fundos atribuidos à investigação do desaparecimento de Madeleine McCann, do Algarve, em maio de 2007

A polícia inglesa solicitou no mês passado que os fundos para a investigação do caso do desaparecimento de Madeleine McCann fossem estendidos durante mais um ano, de modo a prosseguir com as "linhas de investigação ativas". Segundo a lei inglesa, a polícia é obrigada a candidatar-se à extensão dos subsídios de seis em seis meses, de modo a poder prosseguir com a investigação. Ainda em novembro do ano passado, foram concedidas mais 150 mil libras (cerca de 169 mil euros) para o efeito.

Depois do inquérito aberto pela Polícia Judiciária portuguesa, a Scotland Yard abriu a sua própria investigação, a Operação Grange, em 2013. Até agora o governo inglês já gastou 11,75 milhões de libras (13,26 milhões de euros) com o caso. Este dinheiro vem de um fundo especial disponível para forças policiais em casos de custos excecionais.

Maddie desapareceu em 2007 quando dormia com os irmãos mais novos num apartamento na Praia da Luz, no Algarve. A investigação já explorou várias teorias que pudessem explicar o seu desaparecimento, incluindo que Madeleine possa ter sido raptada, se tenha afastado do quarto sozinha ou que tenha morrido no apartamento.

Os pais, Gerry e Kate McCann, nunca deixaram de apelar publicamente para que as buscas pela filha continuassem, através das redes sociais ou de presenças em programas de televisão.

Em maio, assinalaram o 12º aniversário do desaparecimento da filha com uma publicação no site Find Madeleine: "Chegámos aquela época do ano novamente. Por mais que gostássemos de passar à frente as primeiras semanas de maio, não há como contornar isto. Os meses e anos passam demasiado depressa; a Madeleine vai fazer dezasseis anos este mês. É impossível pôr em palavras o que isso nos faz sentir. Mas encontramos conforto e tranquilidade em saber que a investigação continua e muitas pessoas em todo o mundo permanecem vigilantes. Obrigado a todos os que continuam a apoiar-nos, pela vossa esperança e crença contínuas. Durante o tempo que for preciso... Kate e Gerry"

O recente documentário da Netflix "O Desaparecimento de Madeleine McCann" voltou a chamar a atenção da opinião pública para o caso, arrastando a polémica para as redes sociais, onde cresce a quantidade de teorias partilhadas.

CONHEÇA A NOVA EDIÇÃO DIGITAL DA VISÃO. LEIA GRÁTIS E TENHA ACESSO A JORNALISMO INDEPENDENTE E DE QUALIDADE AQUI