Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Escorrega de rua em Espanha encerrado menos de 24 horas depois da sua abertura por falta de segurança

Sociedade

Um escorrega urbano de 38 metros em Estepona, Espanha, foi encerrado, menos de 24 horas depois da sua abertura, após queixas dos seus utilizadores, que usaram as redes sociais para mostrarem os ferimentos

Menos de 24 horas depois da abertura ao público, o “mais longo escorrega urbano de Espanha” foi encerrado por falta de condições de segurança.

O escorrega, que liga a Calle Reina Sofia à Calle Eslovaquia na Costa del Sol, em Estona, era considerado pelos locais como um atalho útil, percorrendo em segundos um caminho que teria de ser feito em 10 minutos a pé.

Contudo, depois de várias queixas de pessoas que acabaram feridas após terem usado o escorrega de 38 metros, este foi encerrado e foram tomadas medidas para verificar a segurança do equipamento.

A câmara municipal garante que foram tomadas as medidas necessárias para garantir a segurança da infraestrutura e para explicar aos cidadãos como o utilizar sem se ferirem. No entanto, poucas horas depois da abertura do escorrega, cuja rampa chega a atingir inclinações entre 32º a 34º, foram publicados inúmeros vídeos de pessoas a descerem o escorrega a velocidades difíceis de controlar e a serem projetados no final do trajeto.

Muitas pessoas mostraram as feridas e queimaduras. Uma utilizadora do Twitter partilhou as fotos dos ferimentos dos seus cotovelos e criticou a qualidade do escorrega: “Experimentei o escorrega e acabei cheia de feridas. No final fui projetada dois metros e os polícias começaram a rir-se."

Em comunicado, a autarquia comenta que as lesões mostradas nas redes sociais foram casos isolados e recomenda que as pessoas sigam as regras de segurança: manter uma posição sentada, os braços perto do corpo e descer uma de cada vez, exceto crianças com menos de 12 anos, que devem descer o escorrega sempre acompanhadas por um adulto. Mais de cem pessoas usaram o escorrega corretamente e sem qualquer tipo de incidentes”, sublinha.

ASSINE AQUI E GANHE UM SACO. Ao assinar está a apoiar o jornalismo independente e de qualidade – essencial para a defesa dos valores democráticos em Portugal