Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Nesta imagem estão mais de 13 mil milhões de anos da história do Universo

Sociedade

HubbleSite

Parece uma simples noite estrelada, mas não é. Esta imagem é um mosaico de todo o Universo, composto pelos milhares de fotografias tiradas pelo telescópio espacial Hubble ao longo do tempo, e retrata mais de 13,3 mil milhões de anos da história do universo

Pedro Dias

Pedro Dias

Jornalista

Os pontos de luz nesta imagem não são apenas estrelas, mas galáxias inteiras. A imagem foi concebida por um professor de astronomia, Pieter van Dokkum, e a sua equipa e é composta por 7,500 fotografias tiradas ao longo de 16 anos pelo telescópio espacial Hubble.

A montagem recria o universo desde que tinha apenas 500 milhões de anos até ao presente e compila mais de 265 mil galáxias, algumas anteriores à formação da Terra, que correspondem a um total de 13,3 mil milhões de anos da história universal.

O Hubble viu esta parte do céu muitas vezes durante muitos anos, e agora combinámos todas estas fotografias numa única imagem grande angular, de altíssima qualidade. É como ter um livro de história do universo numa só imagem”, conta van Dokkum à CNN.

O mosaico completo do Hubble Legacy Field.

O mosaico completo do Hubble Legacy Field.

HubbleSite

A imagem funciona como um livro de história porque olhar para galáxias criadas em tempos tão distantes permite estudar o passado e a evolução do universo. Contudo, graças à sua distancia, algumas das galáxias estão reduzidas a pequenos pontos brancos de luz. Os cientistas explicam que, sem um telescópio ainda mais poderoso, esta é a melhor representação universal que se consegue obter.

O Hubble Legacy Field, nome dado pelos investigadores ao mosaico criado, é o retrato do universo mais completo até à data. A imagem permite estudar a expansão do universo, o que permitirá perceber a forma de como vários elementos são criados e evoluem, como as leis da física funcionam no espaço e ainda como a vida na Terra pode ter começado.

A imagem revela ainda galáxias já extintas, que morreram ou que acabaram por migrar e fundir-se com outras.

O telescópio Hubble, nomeado em homenagem ao astrónomo norte-americano Edwin Hubble, foi lançado em 1990 e foi usado até hoje para tirar fotografias do espaço. Estima-se que, em 2020, seja lançado o James Webb Space Telescope, um novo telescópio poderoso o suficiente para identificar as primeiras galáxias nascidas no universo.