Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Pasta de dentes causa a morte de rapariga de 11 anos com alergia grave às proteínas do leite

Sociedade

Adam Gault/ Getty Images

Denise Saldate, uma rapariga de 11 anos residente na Califórnia, sofreu uma reação alérgica fatal a um ingrediente presente numa pasta de dentes medicinal. Severamente alérgica às proteínas do leite de vaca, a criança sofreu um choque anafilático grave após usar pela primeira vez a pasta recomendada pelo próprio dentista

Pedro Dias

O episódio, relatado pela mãe, Monique Altamirano, à Allergic Living, aconteceu no dia 4 de abril. Após uma consulta de medicina dentária, foi recomendada a Denise uma pasta dentífrica medicinal da marca MI Paste, como forma de combater as manchas que tinha nos dentes. A menina quis experimentá-a nessa mesma tarde e teve imediatamente um choque anafilático que acabou por se revelar fatal, sem que a mãe ou a irmã de 15 anos, presentes durante o episódio, pudessem fazer nada.

Denise era gravemente alérgia às proteínas do leite de vaca e a família sempre tomou as devidas precauções para com a sua condição, revela Altamirano. Contudo, após anos a ler rótulos de pasta de dentes sem nunca encontrar vestígios de leite, Altamarino pensou que esta, receitada pelo dentista, não traria qualquer risco para a saúde da filha.

“Ela estava tão contente por ter a sua pasta de dentes especial”, relata, “não pensei em ver os ingredientes do produto”. A pasta dentífrica em causa avisa para a presença de vestígios de leite na sua composição, mas ninguém na família o leu.

Segundo a mãe, Denise já teria tido algumas reações alérgicas ao longo da vida, mas nunca nenhuma desta dimensão.

David Stukus, alergologista pediátrico do Nationwide Children's Hospital, em Ohio, nos Estados Unidos da América, comentou a raridade do caso. “É a primeira vez que oiço falar de algo remotamente parecido com isto”, diz à CNN. "Existem proteínas alimentares em muitos medicamentos e produtos não alimentares”, lembra, “mas, no geral, o tipo e a quantidade de proteína não é o suficiente para causar qualquer reação na maioria das pessoas com alergias alimentares”. Segundo Stukus, a maior parte das mortes por reações alérgicas alimentares estão associadas a outras condições debilitantes, como asma, que tornam as reações muito mais severas.

Face ao sucedido, Altamirano deixou uma mensagem para todos os pais de crianças com alergias: “Leiam tudo. Não se desleixem por terem conseguido controlar a situação durante anos”. Em qualquer ocasião, “não se podem desleixar ou ter vergonha ou medo de perguntar e assegurar que está tudo bem com os ingredientes. Sejam os defensores dos vossos filhos”.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA