Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Como foram parar os ossos de 500 pessoas a um quintal no Japão?

Sociedade

Steve Debenport/ Getty Images

Autoridades japonesas estão a questionar o presidente de uma empresa que constrói esqueletos anatómicos depois de terem encontrado ossos de cerca de 500 pessoas no quintal de uma casa em Tóquio de um funcionário

O presidente da Habara Skeletal Specimen Research Institute foi acusado de despejar ilegalmente ossos de centenas de pessoas no jardim de um dos seus trabalhadores no Bairro de Adachi em Tóquio.

A acusação enviada do Departamento de Policia de Nishiarai para os promotores públicos acusava o presidente de violar a Lei de Gestão de Resíduos e Limpeza Pública. Segundo o jornal Mainichi, o homem já terá confirmado que as alegações são verdadeiras.

Os ossos foram descobertos em novembro após a morte do proprietário da casa, quando um polícia viu aquilo que pareciam ossos humanos no jardim. Estas suspeitas rapidamente foram confirmadas, sendo que os investigadores forenses chegaram à conclusão que os ossos pertenciam a cerca de 500 indivíduos.

Uma fonte da polícia disse ao jornal japonês que o presidente da empresa importava ossos da Índia “há algumas décadas e utilizava-os na construção de modelos de esqueletos.”

Membros deste tipo de indústrias acrescentaram que era “comum” as empresas utilizarem ossos humanos reais na construção destes esqueletos até à década de 70.

A polícia espera conseguir descobrir como é que a empresa consegue importar os ossos da Índia e existe a possibilidade de a investigação se estender para outras empresas no mesmo ramo.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA