Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Cientistas sequenciaram genoma do trigo duro

Sociedade

David Ramos/ Getty Images

Um consórcio internacional de investigadores sequenciou a totalidade do genoma do trigo duro, alimento básico e muito usado para fazer massas e sêmolas como o cuscuz

O genoma do trigo duro é quatro vezes maior do que o genoma humano. A equipa que o sequenciou diz que é possível a partir de agora perceber como os genes funcionam e se comunicam.

No estudo, publicado na revista Nature Genetics, a equipa também descobriu a forma de reduzir significativamente os níveis de cádmio nos grãos, garantindo a segurança e o valor nutricional através da reprodução seletiva. O cádmio é um metal tóxico presente em muitos solos, especialmente a partir do desenvolvimento industrial.

"Este trabalho inovador levará a novos padrões para a reprodução do trigo duro e para a segurança dos produtos derivados, abrindo caminho para a produção de variedades de trigo melhor adaptadas às alterações climáticas, mais rentáveis, com melhor qualidade nutricional, e melhor sustentabilidade", disse Luigi Cattivelli, do Conselho italiano para a Investigação Agrícola e Economia.

Curtis Pozniak, da Universidade de Saskatchewan, do Canadá, afirmou: "Agora podemos trabalhar rapidamente para identificar os genes responsáveis pelos traços que selecionarmos nos nossos programas de melhoramento, como o rendimento, a resistência a doenças e as propriedades nutricionais".

A investigação envolveu mais de 60 cientistas de sete países. O trigo duro evoluiu do trigo selvagem e tornou-se uma cultura importante há cerca de 1.500 a 2.000 anos, na região do Mediterrâneo.

O trigo duro é um poliploide, por ter dois genomas. Perceber a forma como os dois interagem é importante para a qualidade e rendimento dos alimentos, mas os cientistas identificaram também o gene do trigo responsável pelo acumular do cádmio.

"Agora que identificámos esse gene podemos efetivamente selecionar variedades que não acumulem quantidades significativas de cádmio", o que garantirá produtos "nutricionalmente mais seguros", disse Pozniak, citado num comunicado de divulgação da investigação.

O trigo duro é cultivado essencialmente no Canadá e Estados Unidos, Europa e no sul da Ásia. É fundamental na agricultura de subsistência no norte e leste de África e no Médio Oriente.

com Lusa

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA