Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

“Sou a Francisca e fui vítima de violência doméstica”. E a sua história é agora um 'Waiting Ring'

Sociedade

A Altice uniu-se à APAV para apoiar as vitimas de violência doméstica durante o mês de março e criou um Waiting Ring com o relato da experiência de duas vítimas de violência doméstica. Por cada cliente que aderir a este serviço a empresa doará 1 euro para ajudar as vitímas

Hugo Geada

O presente ano de 2019 tem sido marcado pelo elevado número de vítimas de violência doméstica. No total, contabilizam-se já 12 mortes - 11 mulheres e uma criança. “Mais do que preocupantes, os números são demasiado chocantes para não fazermos nada”, resumiu quarta-feira Alexandre Filipe Fonseca, Chief Executive Officer da Altice Portugal, na apresentação da iniciativa que, juntamente com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), visa o apoio a todas as vítimas deste crime.

No dia em que se celebra o dia Internacional da Mulher, 8 de março, a Altice arrancará com uma iniciativa que dará aos clientes MEO oportunidade de utilizar um Waiting Ring, ou Saving Ring como é chamado pelos seus criadores, no qual Francisca e Ângela, duas ex-vitímas, narram os maus tratos a que foram submetidas. A empresa de telecomunicações irá oferecer 1euro à APAV por cada cliente que aderir ao Waiting Ring (o que se ouve enquanto se espera que o destinatário da chamada atenda).

Decidimos transformar a marca comercial MEO também nunca marca de causas”, disse Filipe. “A primeira que escolhemos foi a luta contra a violência doméstica por ser o mês em que se comemora o dia internacional da mulher, mas seguir-se-ão outras causas, igualmente, importantes e a marca MEO passará a ser reconhecida como uma marca que está presente ao lado do combate a estes flagelos”

Francisca, que esteve presente na apresentação, tem esperança "que todas as mulheres se possam tornar ativistas contra este crime horrível”. Quando questionada se tinha consciência dos perigos que “dar a cara” por esta campanha pode acarretar, Francisca afirmou estar “preparada para assumir o risco”: “Existem milhares de mulheres neste pais com medo e todas elas devem fazer queixa, não podem ficar à espera e devem agir de imediato.”

Para além do Waiting Ring, esta campanha faz-se acompanhar por um vídeo publicitário protagonizado por Francisca e Ângela e uma mudança no logotípo da marca onde o “O” de MEO, passará a ser representado pelo símbolo de Vénus, que representa o género feminino. Durante o resto do mês de março, também os trabalhadores das lojas Meo irão envergar uma t-shirt branca com a frase “#NãoFiqueÀEspera – Não à Violência Doméstica”.