Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

VISÃO premiada por reportagem sobre os nepaleses que vivem em Lisboa

Sociedade

Dar à luz em Lisboa: A pequena Yangzom, com cinco meses, é um dos 140 bebés de origem nepalesa nascidos, em 2017,na Maternidade Alfredo da Costa

Luís Barra

O Alto Comissariado para as Migrações entregou à VISÃO o prémio de Imprensa Escrita e, também, o grande prémio Diversidade Cultural, ex aequo com um trabalho da rádio Antena 1

A reportagem os Alfacinhas dos Himalaias, publicada na VISÃO em março do ano passado, foi distinguida pelo Alto Comissariado para as Migrações (ACM) com o prémio de jornalismo de Imprensa Escrita e, também, com o grande prémio Diversidade Cultural, ex aequo com o trabalho Nha bairro Riobom, da jornalista da Antena 1 Cláudia Aguiar Rodrigues, sobre uma antiga fábrica de têxteis no Porto que serve de morada precária a uma pequena comunidade de cabo-verdianos.

O artigo, da autoria da jornalista da VISÃO Vânia Maia, teve como ponto de partida o facto de a segunda nacionalidade estrangeira com mais nascimentos na Maternidade Alfredo da Costa (MAC), em Lisboa, ter sido a nepalesa, em 2017.

Foi esse o pretexto para conhecer como vivem os nepaleses na capital portuguesa, quais as suas expetativas, dificuldades e triunfos.

Na categoria de Rádio foi premiada a jornalista da Antena 1 Cláudia Aguiar Rodrigues, com a reportagem Nha bairro Riobom, que partilha o grande prémio com a VISÃO. À RTP coube o prémio de Televisão com o trabalho A Outra Costa, da autoria de Sandra Vindeirinho. José Sena Goulão, da Lusa, recebeu o prémio de fotojornalismo com Migrantes no Mediterrâneo.

Nos órgãos de informação regionais foram premiados o Região de Leiria e o Correio da Feira.

Também foi atribuído um prémio na categoria Jovem à estudante Vanessa Sofia Matos Cabreiras e uma Menção Honrosa a Cristiana Patrícia Reis Lopes e Katriel Gonzaga Pedro.

O galardão de Diversidade nos Guiões foi entregue a Mar, de Margarida Gil e Alexandre Midões de Oliveira e valeu uma Menção Honrosa a Henrique Ferreira Marques, com Xavier, o ilusionista.

A entrega de prémios realizou-se ontem à tarde no Grémio Literário, em Lisboa, e contou com a presença da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro.

O prémio de comunicação Pela Diversidade Cultural, atribuído pelo Alto Comissariado para as Migrações, distingue trabalhos jornalísticos “com um contributo relevante para a promoção da diversidade cultural, o combate à discriminação em razão da origem racial e étnica, cor, nacionalidade, ascendência, território de origem ou religião e, em particular, para a integração das comunidades imigrantes, refugiadas e ciganas presentes em Portugal”.

O júri da quarta edição do prémio, que avaliou 65 trabalhos, era composto por Fernando Cascais, Docente de Ciências da Comunicação na Universidade Católica; Clara Almeida Santos, Professora Auxiliar no Departamento de Filosofia, Comunicação e Informação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra; Lívio de Morais, Professor e Artista Plástico e Sandra Batista, do Gabinete de Eventos, Comunicação e Informação do ACM.

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA

  • Conheça os alfacinhas dos Himalaias

    Sociedade

    Na Maternidade Alfredo da Costa nasce um bebé de mãe nepalesa a cada três dias. Embora pouco numerosa, é a segunda comunidade estrangeira com mais nascimentos no "berço de Lisboa". Como vivem, no nosso país, os filhos do Nepal