Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

A Europa está em perigo, alerta manifesto assinado por 30 escritores, prémios Nobel incluídos

Sociedade

Dan Kitwood/Getty

O escritor António Lobo Antunes é um dos subscritores – e o único português – de um Manifesto pela Europa redigido pelo filósofo Bernard-Henri Lévy e assinando por 30 prestigiados escritores

Um grupo com mais de 30 intelectuais escreveu um manifesto, publicado em vários jornais, sobre o crescente populismo na Europa que a própria Europa parece estar a ignorar.

Entre os que assinam o texto estão o filósofo Bernard-Henri Lévy e vários escritores, como Ian McEwan, Salman Rushdie, Svetlana Alexievitch, Herta Müller, Orhan Pamuk, Elfriede Jelinek ou Mario Vargas Llosa. O escritor António Lobo Antunes é um dos subscritores e o único português na lista.

No “Manifesto for Europe” os signatários dizem que a “Europa está a desmoronar-se perante os nossos olhos” e está a ser “atacada por falsos profetas ébrios de ressentimento”.

Se nada for feito, escrevem, “vamos perecer debaixo das ondas de populismo”.

A Europa foi abandonada pelos “dois grandes aliados” que no séc. XX nos “salvaram duas vezes do suicídio”, um do outro lado do “Canal” (Canal da Mancha) e o outro do “outro lado do Atlântico” – referências ao Reino Unido e ao Brexit e aos EUA.

É neste “ambiente tóxico” que vão ter lugar as próxima eleições europeias, em maio, e se “nada for feito” vão ser as piores de sempre porque “darão a vitória aos destruidores”. E alertam para a explosão da “xenofobia” e “antissemitismo”.

Os signatários dizem que não se resignam perante esta catástrofe iminente e apelam à participação nas eleições de forma a travar o que está a acontecer e parar os “coveiros” do ideal Europeu.

O manifesto foi, primeiro, publicado no site do jornal francês Libération, e, depois, nos sites de outros jornais.