Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Produzidas pela primeira vez bananas em laboratório. Longe do solo e sem utilizar terra

Sociedade

Plantação de bananas na Costa Rica

DEA / V. GIANNELLA/Getty

A existência de um fungo que anda a dizimar as plantações de bananas um pouco por todo o mundo levou um cientista a cultivá-las em laboratório

A Holanda produziu, pela primeira vez, bananas em laboratório. A ideia do cientista que desenvolveu a experiência partiu da existência de um fungo que se desenvolve na terra e causa a morte das plantas. Ao eliminar a terra do processo e utilizando fibra de coco (obtida através da casca do coco) e lã mineral ou de pedras (fibras obtidas de rocha basáltica) conseguiu que as plantas crescessem “muito bem com a aplicação de nutrientes”, explicou à BBC Mundo. Foram cultivadas 60 plantas de bananas em estufa.

Gert Kema, professor de patologia de plantas tropicais da Universidade de Wageningen, na Holanda, referiu que, para combater a “doença do Panamá”, causada por um fungo transmitido pelo solo, só mesmo tirando as bananas da terra.

“Não se tratam de bananas hidropónicas [técnica de cultivar plantas sem solo, em que as raízes recebem uma solução nutritiva balanceada que contém água] porque as raízes não estão numa solução à base de água”, destacou o cientista. “Acrescentámos nutrientes através de irrigação por conta-gota.”

A chamada “doença do Panamá” – por te sido detetada primeiro nesse país – já levou à extinção da variedade Gros Michel, a banana campeã das exportações nos anos 1950. É causado pelo fungo fusarium oxysporum, um agente patogénico de difícil combate já que nasce na terra e propaga-se facilmente pela água e pelas partículas de terra, especialmente em contacto com sapatos, roupa e ferramentas.

Um dos maiores produtores de banana, a empresa suíça Chiquita, mostrou interesse nesta investigação holandesa e fez um teste nas Filipinas,