Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Desgraças e catástrofes de 2018. Ou quando fica a clara a (ir)responsabilidade dos Estados

Sociedade

NUNO VEIGA/ Lusa

Foi um ano marcado pela força dos fenómenos naturais extremos e por tragédias em que se vislumbra a (ir)responsabilidade política

Acidente em Borba, Alentejo - 19 de novembro

Pouco depois do deslizamento de terras para a pedreira, que levou atrás os carros que iam a passar na estrada que ruiu, a EM255, foram muitas as vozes que se levantaram, alertando para a falta de segurança da via que colapsou – a primeira vez que se falou disso foi há quatro anos. Porém, nada foi feito. De quem é a responsabilidade? Esta pergunta ainda paira por aí. Entretanto, o Ministério do Ambiente ordenou uma inspeção às pedreiras da região.
Vítimas: 5 mortos

PHYO HEIN KYAW/ Getty Images

Genocídio dos Rohingya - Agosto

No dia 27 de agosto de 2018, as Nações Unidas acusaram formalmente o exército de Myanmar de genocídio contra o povo rohingya e o Tribunal Penal Internacional abriu uma investigação. Os crimes contra a Humanidade de que tem sido vítima a minoria muçulmana persistem há vários anos no país liderado por Aung San Suu Kyi, prémio Nobel da Paz em 1991.
Vítimas: Mais de 10 mil mortos

Anadolu Agency/ Getty Images

Incêndios em Ática, Grécia - Julho

As imagens pareciam decalcadas das que víramos um ano antes, em Pedrógão Grande. E as justificações para este enorme incêndio também nos soaram familiares: temperaturas na casa dos 40, ventos fortes, resposta deficiente das autoridades e falta de prevenção. Resultado: além das vítimas mortais, foram destruídas mais de 1 500 casas. As responsabilidades continuam por apurar.
Vítimas: 93 mortos

Sismo e tsunâmi em Celebes, Indonésia - 28 de setembro

Um sismo de magnitude 7,5 atingiu a costa da Celebes, causando de seguida um tsunâmi. Na sequência, mais de 200 mil pessoas foram deslocadas das suas casas e precisaram de ajuda humanitária, segundo a Cruz Vermelha. Em outubro, o vulcão Sotupan entrou em erupção e as autoridades viram-se obrigadas a estabelecer um raio de segurança de quatro quilómetros ao redor da cratera.
Vítimas: 2 256 mortos

Ataque num mercado de Natal, Estrasburgo - 11 de dezembro

No passado dia 11, Chérif Chekatt, de 29 anos, abre fogo em três pontos do centro histórico da cidade, atingindo quem se encontrava perto do mercado de Natal de Estrasburgo, ao mesmo tempo que gritava “Allah Akbar!” (“Deus é grande!”). O homem, classificado como “S” (para Segurança de Estado) por radicalização islâmica, acabou por ser abatido, pela polícia francesa, 48 horas depois.
Vítimas: 5 mortos

Marcus Yam/ Getty Images

Incêndios na Califórnia - Julho e Novembro

O incêndio mais mortal da Califórnia aconteceu em novembro deste ano, com 88 vítimas mortais e 62 mil hectares ardidos. Já no verão, todo este estado norte-americano esteve em chamas. As causas estão a ser investigadas, mas há quem aponte o dedo às falhas em centrais elétricas.
Vítimas: 94 mortos

REUTERS TV

Presos na gruta de Tham Luang, Tailândia - Junho

O mundo seguiu o salvamento no complexo de grutas de Tham Luang, depois de um grupo de doze jovens futebolistas, acompanhados pelo treinador, ter ficado lá preso por causa das chuvas. Só conseguiram sair ao fim de 18 dias, e depois de uma intrincada operação de resgate, que fez a única vítima deste drama 
– um ex-mergulhador da Marinha tailandesa.
Vítimas: 1 morto

Buda Mendes

Fogo no Museu Nacional do Rio de Janeiro, Brasil - 2 de setembro

Um incêndio de grandes dimensões destruiu o museu, que existia na antiga residência dos imperadores do Brasil. Lá dentro estava um dos maiores acervos históricos e científicos do país. Por causa dos sucessivos cortes orçamentais, o museu apresentava já sinais de má conservação, mas a polícia não descarta a hipótese de fogo criminoso.
Perdas: 18,5 milhões de peças

Getty Images

Queda da ponte de Génova, Itália - 14 de agosto

Um trecho de 200 metros de um viaduto da autoestrada A10 desabou na cidade italiana de Génova. Na altura do colapso estariam sobre a ponte pelo menos 30 viaturas e três camiões TIR. Desde fevereiro que o Ministério dos Transportes italiano tinha conhecimento das fragilidades da Ponte Morandi, mas as autoridades nada fizeram para desviar o tráfego.
Vítimas: 43 mortos

Sismo em Hokkaido, Japão - 5 de setembro

Um sismo de magnitude 6,6 atingiu a ilha de Hokkaido, no Japão. Este terramoto foi o último de uma série de catástrofes naturais a atingir o país durante 2018, nomeadamente vários tufões (entre os quais os fortíssimos Jebi e Trami) e uma leva de chuvas torrenciais.
Vítimas: 41 mortos

Queda de helicóptero do INEM, Valongo, Portugal - 15 de dezembro

A queda de um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica, provocando a morte de dois pilotos, de um médico e de uma enfermeira, causou consternação entre os portugueses. A avaliação preliminar indica que a queda aconteceu na sequência da colisão com uma antena emissora existente na área, sem iluminação.
Vítimas: 4 mortos