Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal precisa de mais idiotas

Sociedade

Fernando Alvim numa produção fotográfica para a VISÃO

João Lima

O Festival de Ideias Idiotas, organizado pelo radialista Fernando Alvim, é já terça-feira, no São Jorge. A melhor ideia ganha um prémio: todas as receitas de bilheteira. Junte-se à festa, sem medo de que se riam de si

Fernando Alvim, radialista e humorista, é um idiota de serviço, com muito orgulho. Talvez por isso, e porque não consegue estar quieto, organizou o Festival de Ideias Idiotas que vai decorrer na próxima terça-feira no São Jorge, em Lisboa.

O objetivo é juntar muitos idiotas que não acreditam em impossíveis, e averiguar qual a melhor ideia que faz falta ao mundo trazida a concurso. As ideias serão avaliadas por um júri, e no final há um prémio - todas as receitas de bilheteira angariadas (3 euros a entrada). Nada mau, mas neste caso o que conta mesmo é inventar e participar. Descubra porquê nestas seis perguntas a Fernando Alvim.

Portugal precisa de mais ideias idiotas?

Precisa imenso, daí este festival. É na aparente impossibilidade que chegamos à possibilidade das ideias. As ideias são sempre olhadas com desconfiança no início, mas é a sua execução com a qual sempre sonham.

Qual a ideia idiota que gostaste mais de ouvir nos últimos tempos?

Alguém que andava a vender ar de Fátima. Aparentemente um sucesso.

Que idiotas admiras?

Em Portugal há imensos: Manuel João Vieira, Vitor Rua e Hugo Van der Ding, por exemplo, que vão estar no júri. Gosto muito também do Pedro Bidarra, do Gonçalo Morais Lopes, do Ricardo Araújo Pereira [leia as crónicas aqui], do Bruno Nogueira. Internacionalmente, o Elon Musk, o Woody Allen, o Moretti, o Messi, o Ronaldo, o Beckett… há idiotas em todo o lado.

A criatividade e o arrojo são características subvalorizadas em Portugal?

Acho que são cada vez mais valorizadas. A criatividade é o foco atual, mesmo as pessoas mais cinzentas sabem que tem que ter pessoas inventivas na sua vida. Alguém que tem ideias – mesmo que muitas delas não sejam exequíveis – é sempre alguém que arrisca, que ambiciona experimentar, que não quer fazer mais do mesmo. Um verdadeiro idiota não tem medo que o julguem nem que o critiquem, porque o verdadeiro prazer esta na partilha, na provocação que pode ser ter uma ideia impossível.

Que expectativas tens para este evento?

Antes de baptizar este festival de idiota esteve para se chamar apenas “É impossível, é impensável, é genial”, porque no fundo é sempre assim o percurso de uma ideia. As minhas expectativas para este e para qualquer evento são sempre elevadas. Todas as pessoas que gostam de partilhar ideias idiotas sabem que é este o momento.

Como se pode participar?

Podem vir ser idiotas presencialmente na próxima terça-feira no São Jorge, das 18h às 20h, ou podem participar por video ou audio. Podem inscrever se pelo mail: festivalidiota@gmail.com ou pelo numero de whatsapp 960386272.