Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Imobiliário: Há apartamentos em Portugal ao preço de castelos em França

Sociedade

Em Portugal, já há apartamentos e moradias a custar tanto como castelos históricos ou ilhas privadas. Somos o quarto país da União Europeia onde os preços da habitação mais subiram no primeiro trimestre

Vânia Maia

Vânia Maia

Jornalista

Quatro vírgula sete milhões. Este número revela a valorização do edifício comprado pelo ex-vereador da Câmara Municipal de Lisboa Ricardo Robles e a sua irmã, ao fim de quatro anos. Adquirido por €347 mil, e alvo de obras de reabilitação no valor de €650 mil, o imóvel esteve à venda por €5,7 milhões – €4,7 milhões acima do investimento. Polémicas à parte, o prédio da Rua do Terreiro do Trigo, em Alfama, tornou-se símbolo da especulação.

Pode soar a hipérbole, mas há casas em Portugal ao preço de castelos na Normandia, ilhas no Pacífico ou apartamentos em Paris. E não é só no segmento mais luxuoso que o imobiliário nacional encontra termos de comparação surpreendentes: um T1 na capital pode custar tanto como uma aldeia inteira.

O aumento do preço da habitação em Portugal foi de 12,2% no primeiro trimestre deste ano, comparativamente com o período homólogo, de acordo com o gabinete de estatísticas da União Europeia, o Eurostat. O País ocupa, assim, o quarto lugar no índice dos países europeus onde o valor das casas mais subiu. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o custo médio das residências vendidas no primeiro trimestre foi de €950/m2. Regiões como o Algarve (€1 424/m2) e a Madeira (€1 143/m2) estão acima da média nacional. E, se focarmos apenas o município de Lisboa, o valor mais do que duplica: €2 581/m2. Na capital, as casas chegam a ser quatro vezes mais caras do que a média nacional, já que em freguesias como Misericórdia ou Santo António os preços aproximam-se dos €4 mil/m2. No segmento de luxo, em zonas como o Chiado, a Rua Barata Salgueiro ou a Avenida da República, o metro quadrado chega a superar os €10 mil. Já o Porto destaca-se pelo maior crescimento dos preços face ao período homólogo: 22,7% (€1 379/m2).

A subida dos preços não tem travado as vendas. A APEMIP, a associação que representa os profissionais do imobiliário, estima que serão transacionadas cerca de 170 mil casas até ao final de 2018, batendo o recorde do ano passado, quando foram vendidas 153 mil.

No entanto, é previsível que alguns compradores equacionem mudar de rota. Afinal, basta uma boa ligação à internet para estar (digitalmente) em todo o lado. Ou será que os encantos de Portugal têm um preço incalculável? Pelo menos, para quem tem orçamento para eles.

O valor do romantismo

€1,75 a €2,5 milhões

Ir a pé à Praia da Luz, ao Mercado da Foz ou à Fundação de Serralves. Estas são algumas das garantias do Sette, condomínio exclusivo na Avenida Marechal Gomes da Costa, no Porto. São sete habitações unifamiliares, de tipologias T3 a T5, com preços entre os €1,75 milhões e os €2,5 milhões – as mais caras incluem piscina privativa. Valores que permitem, por exemplo, investir num castelo do século XIX na região de Gascony, no Sudoeste de França, a duas horas de automóvel de Paris. 
A imobiliária Prestige Property Group está a vender um castelo com dez quartos e nove casas de banho, instalado numa propriedade com 1,8 hectares, por €1,8 milhões – o preço de um T4 neste condomínio. Biblioteca, adega e piscina são alguns dos atrativos do castelo. Já na Normandia, há um château mais humilde (com sete quartos) à venda
por menos de meio milhão 
de euros, o preço de alguns 
T1 na capital portuguesa.

Notícias da cidade ou do campo

€400 mil a €1,75 milhões

O número 266 da Avenida da Liberdade, em Lisboa, albergou o jornal Diário de Notícias durante 76 anos. Agora, terá 34 apartamentos e uma loja onde serão visíveis os painéis da autoria de Almada Negreiros. Os preços das habitações, com áreas entre os 45 e os 410 m2, começam nos €430 mil para os estúdios, €560 mil para os T1, 
€1,1 milhões para os T2 e €1,72 milhões para os T3. Por estes valores também é possível fugir da cidade e investir no campo. A imobiliária Douro Estate Plus tem uma quinta com cinco hectares, em Lamego, à venda por €400 mil (ainda mais barata do que um T1). Com uma vista sobre o Douro de cortar a respiração, está disponível uma propriedade com 3,2 hectares, perto de Peso da Régua, por €1 milhão (o valor de um T2). Sensivelmente ao preço de um T3 – €1,75 milhões – há uma quinta em Barca D’Alva com 30 hectares, que até inclui 1,5 quilómetros do rio Douro.

O Chiado é uma aldeia

€600 mil

É um dos bairros históricos mais apetecidos de Lisboa, mas não deixa de ser surpreendente que um T1 com 65 m2 esteja à venda por €600 mil na freguesia de Santa Maria Maior. O apartamento está situado no edifício The Cordon, na Rua Vítor Cordon, atualmente em fase de reabilitação. Este pequeno apartamento de luxo tem exatamente o mesmo preço de uma aldeia inteira posta à venda em Arouca, no distrito de Aveiro. Com uma área de 9,8 hectares e 11 casas de pedra (algumas a precisarem de obras), a aldeia fica a 15 minutos da Vila de Arouca e é apresentada como uma oportunidade de investimento em turismo rural pela imobiliária Luximo’s Christie’s. Viver num apartamento de luxo ou investir num projeto de turismo, eis a questão para quem tiver €600 mil para investir.

Para os amantes da praia

€850 a €2,5 milhões

O Algarve continua a ser apetecível. Destaca-se o preço do m2 nos municípios de Loulé (€1 806), Lagos (€1 738), Albufeira (€1 613) e Tavira (€1 531). 
A imobiliária Engel & Völkers está a vender uma moradia no Carvoeiro, em Lagoa, por €1,5 milhões. Instalada numa propriedade com mais de 2 000 m2, não falta uma piscina aquecida no jardim da casa, com dois pisos e quatro quartos.

Por este preço, porém, é possível garantir uma proximidade ainda maior do mar. Há ilhas privadas à volta do globo disponíveis por valores mais baixos – convém não esquecer o tempo e o dinheiro necessários para lá chegar… A ilha de Mara Koraki, em Manihi, na Polinésia Francesa, tem lotes à venda por €851 mil. Se, em vez do Pacífico Sul, a opção for as Caraíbas, já se torna difícil encontrar um pedaço de paraíso 
por menos de €2,5 milhões. O mesmo preço de uma moradia com 634 m2, 
e vista privilegiada sobre o mar, promovida pela imobiliária em Albufeira.

A “city” de Alfama

€5,7 milhões

Com uma localização absolutamente privilegiada, o edifício comprado e recuperado por Ricardo Robles e pela irmã esteve à venda por €5,7 milhões. Situado no coração de Alfama, mesmo ao lado do Museu do Fado, o imóvel tem 11 apartamentos, o maior com 41 m2 e o mais pequeno com 25 m2. Ao todo, soma 728 m2. Por um preço semelhante, em Londres, é possível comprar um edifício com cinco apartamentos – totalizando uns escassos 257 m2 (pouco mais de um terço do imóvel lisboeta) – na St. Botolph’s Avenue, a apenas cinco minutos a pé da London Bridge. 
O prédio londrino custa cinco milhões de libras (aproximadamente €5,6 milhões). Já na luxuosa Hyde Park Place, este é o preço de uma penthouse com 185 m2 interiores e 94 m2 de terraço com vista para um dos parques mais emblemáticos da capital britânica: Hyde Park.

No eixo Paris-Lisboa

€1,8 milhões

O luxo que se consegue comprar por €1,8 milhões nas capitais francesa e portuguesa ainda apresenta algumas diferenças. Em Lisboa, este valor permite adquirir uma casa com uma decoração totalmente voltada para o estilo minimalista e futurista, como o T3 nas Avenidas Novas que a imobiliária Private Luxury Real Estate está a comercializar. A suite principal inclui escritório, quarto de vestir e um pequeno spa. Já em Paris, pelo mesmo preço, é possível comprar um apartamento no 15º Bairro com um estilo descontraído, igualmente com três quartos. Com vista para o Sena, o andar está situado a escassos dez minutos de automóvel da Torre Eiffel. O apartamento de Lisboa tem 289 m2, ou seja, o metro quadrado custa mais de €6 mil, já o de Paris tem 169 m2, estando o custo de cada metro quadrado acima dos dez mil euros.