Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

O trágico caso de Jamel Myles: Assumiu-se gay aos 9 anos, sofreu bullying e suicidou-se

Sociedade

Jamel Myles

Reprodução Facebook Leia Pierce

O menino norte-americano tinha "orgulho" em si próprio e fez questão de contar aos colegas no início do novo ano letivo. Ao fim do quarto dia, foi encontrado morto

Foi pouco antes de começar o quarto ano, numa escola primária de Denver, EUA, que Jamel Myles contou à mãe que era homossexual. E com a decisão de contar a Leia Pierce vinha outra decisão: contar aos colegas. Porque tinha "orgulho em si próprio".

Em declarações à KDVR, a mãe recorda que Jamel parecia "muito assustado" quando lhe contou e que, apesar de ter começado por achar que o filho estava a brincar, acabou por perceber que não era o caso e disse-lhe que o amava.

Agora, Pierce sabe que a reação dos colegas foi bem diferente. Quatro dias de aulas foi quanto Jamel, de 9 anos, aguentou. À irmã mais velha, ainda contou que as outras crianças lhe disseram que "se matasse".

Ao Denver Post, Pierce acrescenta que o filho levou unhas postiças logo no primeiro dia de aulas, a 20 de agosto. A 23 de agosto, encontrou-o sem vida, em casa. Está confirmada a morte por suicídio.

A escola adianta que tomou medidas extraordinárias para ajudar os alunos a lidar com a morte do colega.