Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Usar o protetor solar do ano passado é seguro? Consulte o nosso guia

Sociedade

Com o sol a brilhar e as temperaturas a subir, é fundamental não entrar na corrida “ao bronze". Uma dermatologista responde a algumas dúvidas frequentes

Com a ajuda da dermatologista Luísa Caldas Lopez respondemos a cinco perguntas essenciais sobre os protetores solares, os nossos melhores aliados, à semelhança dos óculos de sol e da água, para proteger a pele do sol.

O protetor solar tem prazo de validade?
Sim, o que está indicado na embalagem ou são 12 meses depois de aberto. Se esteve exposto a altas temperaturas pode já não estar em condições de utilização.

Se, por acaso, o protetor já não tiver a data escrita na embalagem como podemos saber que está fora de prazo?
Através do cheiro (que pode ser diferente da altura em que o abriu) e da textura, mas o melhor é considerar o prazo acima referido.

O que pode acontecer se estiver fora de prazo e o usarmos na mesma?
Não só não protege o que deve (não cumpre a função para o que é destinado ) como pode causar irritações cutâneas várias.

Em que local da casa devemos guardar o protetor?
De acordo com as informações da embalagem e em zona seca e protegido da luz e de temperaturas altas.

Como e quantas vezes se deve aplicar, tanto num dia de sol em que andemos na rua, como na praia?
O numero de vezes que se aplica vai depender do tipo protetor solar, do fototipo e da intensidade de exposição. Por regra, recomenda-se aplicação de duas em duas horas, mas pode ser variável. A quantidade de produto que se aplica por cm2 de pele deverá ser indicada a indicada na embalagem para que o creme tenha a proteção que diz ter, caso contrario isso não acontece. Deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição solar.