Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

É preciso repetir? O plástico é o maior inimigo dos oceanos

Sociedade

A Comissão Europeia quer proibir as palhinhas de plástico, um dos 10 objetos mais encontrados na areia e mar das praias da europa

PATRICK PLEUL/Getty

Nova diretiva europeia para banir a comercialização de pauzinhos de cotonetes, palhinhas ou talheres de plástico pretende evitar que as praias se tornem lixeiras a céu aberto

A Comissão Europeia propôs, esta semana, uma nova Diretiva para reduzir o lixo no mar. Sabendo que os plásticos são 85% do lixo encontrados nos mares de todo o mundo, com grandes ilhas a boiar nos oceanos, e que, 10 produtos de uso único são os responsáveis por 70% do lixo marinho encontrado nas praias da Europa, a Comissão propõe medidas para, até 2030, seja possível poupar €223 mil milhões em custos ambientais e que sejam lançados para a atmosfera 3,4 mil milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO²).

Assim, a CE diz que os plásticos descartáveis que podem ser substituídos por outros materiais serão banidos do mercado – pauzinhos de cotonetes, talheres, pratos, palhinhas, agitadores de bebidas e paus para balões terão de ser fabricados exclusivamente a partir de matérias-primas mais sustentáveis. Por outro lado, as embalagens de bebidas descartáveis feitas de plástico só serão autorizadas se as respetivas tampas se mantiverem agarradas à embalagem. Já no caso dos pensos higiénicos, invólucros de tampões, toalhetes húmidos e balões será preciso fazer nova rotulagem que indique de forma clara como devem ser eliminados.

Além disso, as artes de pesca, responsáveis por 27% dos resíduos nas praias, vão ter um regime de responsabilização dos produtores.

A CE propõe, também, que os 28 estados membros terão de recolher 90% das garrafas de bebidas de plástico descartável até 2025, nomeadamente através de regimes de restituição de depósitos, como taras recuperáveis.

Exemplos a seguir

A cadeia de supermercados alemã Lidl deixou de ter desde segunda-feira, nas lojas das Ilhas Baleares espanholas, sacos de plástico. A medida é extensível a todos as superfícies que a empresa tem em Espanha – na Alemanha e no norte da Europa a cadeia já não os disponibiliza desde 2016 – e vem no seguimento de um anúncio do Governo espanhol que pretende proibir estes sacos em 2021. Os clientes destas lojas terão à disposição sacos de ráfia (€0,50) ou de papel (€7 ou €15 dependendo do tamanho).

Em Lisboa, a autarquia está a implementar projetos-piloto em algumas áreas para generalizar o uso de copos reutilizáveis no espaço público. O jardim do Arco do Cego, onde se juntam várias dezenas de pessoas todos os dias, nomeadamente ao fim da tarde, que consomem preferencialmente cerveja, é um desses locais. Assim, como as Festas de Lisboa serão um dos objetivos desta campanha da câmara que está em conversações com as cervejeiras para que o projeto tenha sucesso. A aposta é o uso de copos reutilizáveis e incentivo à reciclagem dos copos tradicionais.

Em vários festivais de música, por exemplo, já é feito este incentivo: o consumidor para €1 de caução pelo copo que é, depois devolvido, com a entrega do copo.

É também em Lisboa que arrancou a ideia da alemã Bianca Beyer e que tem o nome de “Lisboa Limpa”. A ideia é que os lisboetas utilizem copos reutilizáveis quando andam, por exemplo, de bar em bar à noite. O copo custa €1 e pode ser entregue para reembolso em qualquer um dos locais associados ao projeto. Caso se parta é substituído.