Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Já se sabe como é que os pássaros "veem" o campo magnético da Terra

Sociedade

D.R.

No ano passado, os cientistas descobriram que as aves conseguiam detetar o campo magnético da Terra. Um novo estudo explica porquê

Paulo Miguel Godinho

Um grupo de investigadores da universidade sueca de Lund já tinha descoberto que tanto as aves migratórias como as não-migratórias têm uma "bússola" interna que lhes permite ter a perceção de variáveis de movimento como a direção, altitude ou localização através da deteção de um campo magnético. Agora, a mesma equipa desvendou uma "peça" fundamental acerca desta espécie de GPS interno.

No seu estudo mais recente, publicado no final do mês passado, os investigadores identificaram uma proteína que pensam ser crucial para que esta orientação seja possível. As experiências desenvolvidas em mandarins, ave nativa da Austrália, permitiram perceber o papel de uma proteína, a Cry4, neste sistema de orientação: funciona como um sensor magnético.

Entre todas as proteínas que foram testadas, esta foi a única que mantinha um nível constante ao longo do dia, mesmo com variações na luminosidade.

"É um recetor magnético ideal, uma vez que o nível da proteína nos olhos é constante. Isto é algo que esperamos de um recetor que é usado, independentemente da altura do dia", explicou Atticus Pinzón-Rodríguez, um dos autores do estudo.

A Cry4 é uma proteína criptocromática, isto é, sensível à luz, que se encontra nos olhos dos pássaros. Esta têm a função de regular o relógio biológico e, em algumas espécies, o ciclo circadiano, isto é, o período de 24 horas em que um ser vivo completa as atividades do ciclo biológico.

Os investigadores admitem a possibilidade de outros animais possuirem recetores magnéticos, embora seja necessário aprofundar a investigação neste campo para que se consiga esquematizar a forma como estes descobrem e usam o campo magnético terrestre. Um conhecimento que pode ser aplicado no desenvolvimente de novos sistemas de navegação, segundo os autores.