Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Há uma "festa" de buracos negros no centro da nossa galáxia

Sociedade

Columbia University

Uma equipa de astrofísicos liderados pela Universidade de Columbia descobriu uma dúzia de buracos negros em torno de um outro, o supermassivo Sagitário A, mas suspeita que possam ser milhares

No centro da Via Láctea há um buraco negro supermassivo, já se sabia. E em torno dele (até cerca de 3 anos luz), podem existem 10 mil buracos negros, descobriu agora uma equipa de investigadores, a partir de dados recolhidos pela NASA. Para já, os astrofísicos têm certezas sobre a existência de 12.

"É uma multidão", comentou quinta-feira Chuck Hailey, o principal autor do estudo, publicado na revista científica Nature, acrescentando que "tudo o que sempre se quis saber sobre a forma como grandes buracos negros interagem com pequenos buracos negros pode aprender-se estudando esta distribuição".

Há mais de duas décadas que os investigações tentavam provar a teoria sobre a existência de milhares de buracos negros a "viver" em torno de buracos negros supermassivos no centro das grandes galáxias. Uma descoberta entusiasmante, até porque, que se saiba, só existem cerca de 60 buracos negros em toda a Via Láctea - que tem 100 mil anos luz de diâmetro.

O Sagitário A tem uma massa 4 mil milhões de vezes superiores à do nosso Sol e está situado a 26 mil anos luz da Terra.

Hailey explica que os buracos negros podem formar-se longe do centro da galáxia e vão perdendo energia, fruto das interações gravitacionais. "À medida que perdem energia, afundam-se para o centro da galáxia, da mesma forma que sedimentos pesados se afundam mais depressa na água do que sedimentos leves."