Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Dia Internacional da Mulher: Em casa, elas trabalham e eles descansam

Sociedade

GettyImages

O mais recente estudo da OCDE revela que as mulheres continuam a gastar mais tempo do que os homens a fazer trabalho doméstico não remunerado e, em todos os países, eles têm mais tempo de lazer do que elas. Nos salários, os valores também não são famosos

Para o seu mais recente estudo, que compara a forma como as pessoas usam o seu tempo, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) pegou em dados de 31 países (28, mais China, Índia e África do Sul), retirados de pesquisas nacionais sobre o uso do tempo, com base em amostras representativas a nível nacional entre quatro mil e 20 mil pessoas. As conclusões sublinham as diferenças mais significativas entre países e, particularmente, entre homens e mulheres.

Com o relatório dividido em cinco grandes categorias (trabalho pago e estudos; trabalho não remunerado; cuidados pessoais; tempo de lazer; outros), o estudo analisa de que forma mulheres e homens gastam o seu tempo, contabilizando em minutos e por dia quanto é que cada um, por nacionalidade, despende com determinadas atividades. Sem grandes surpresas, percebe-se que ainda há muito trabalho a fazer para que a igualdade de género chegue também ao tipo de tarefas em que mulheres e homens dividem o seu dia.

Na categoria de trabalho não remunerado, que inclui atividades com responsabilidade como tratar de crianças e de adultos, tarefas domésticas, ir às compras ou voluntariado, o México surge no primeiro lugar da lista. As mexicanas gastam mais tempo (6h23 por dia) nessas tarefas, enquanto os mexicanos passam uma média de 2h17 a fazer o mesmo. A Índia antecede o 3.º lugar de Portugal. As portuguesas passam 5h28 diárias a tratar da casa e dos filhos, enquanto os homens ocupam apenas 1h36, a mais baixa da Europa depois da Turquia. Na Europa, os homens mais disponíveis para o trabalho não remunerado são os dinamarqueses que passam 3h06 por dia em tarefas domésticas.

Já na categoria trabalho pago e estudos inverte-se a tendência e os países asiáticos que ocupa os últimos lugares na categoria anterior, encabeçam a do trabalho fora de casa com o Japão (6h03 por dia), seguido do México com seis horas, da Coreia (5h48) e a China (5h40). No 8.º lugar, os portugueses em geral gastam 4h55. O fim da lista pertence à Grécia e a Itália, com cerca de três horas.

Quando se trata de tempo gasto em cuidados pessoais, incluindo comer e dormir, a diferença entre os sexos é muito menor. França e Itália são os países onde as mulheres mais tempo dedicam a si próprias. As francesas gastam 12h41 por dia, bem à frente das italianas com 11h45. O tempo gasto pelos homens é muito semelhante: franceses 12h23, italianos 11h50. Franceses em geral passam mais de duas horas por dia (2h13) a comer e a beber, o dobro do tempo gasto pelos americanos (1h02), os mais rápidos da OCDE. Aqui, Portugal surge em 10.º lugar com 11h26 gastas com cuidados pessoais.

É no norte da Europa que as pessoas despendem mais tempo em lazer, entenda-se a praticar desporto, sair com amigos ou a ver televisão. As norueguesas usufruem de mais horas de tempo de lazer (6h06 por dia), seguidas das belgas (5h46). Portugal é o antepenúltimo da lista com quatro horas. Em todos os países os homens têm mais tempo de lazer todos os dias do que as mulheres. E no que aos salários diz respeito, os mais recentes dados da Comissão Europeia, mostram que, em 2106, as mulheres na União Europeia ganharam, em média, menos 16% do que os homens. Em valores concretos, receberam, em média, 84 cêntimos por cada euro que os homens ganharam por hora. Em Portugal, a disparidade salarial entre homens e mulheres situava-se nos 17,5 por cento.