Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Um euro pela vida do Nelson

Sociedade

Motard do Algarve percorre o país em campanha de angariação de fundos. Com um linfoma resistente, Nelson Cebola procura agora tratamento inovador, só disponível na América

Sara Sá

Sara Sá

Jornalista

Nelson Cebola quer tentar fazer tratamento com CAR T cells, nos EUA

Nelson Cebola quer tentar fazer tratamento com CAR T cells, nos EUA

"Se cada um desse um euro...". Foi assim que lhe surgiu a ideia. Nelson Cebola, 42 anos, motorista de pesados algarvio, sofre de um linfoma mauzinho. Daqueles que resiste aos primeiros, segundos e terceiros tratamentos recomendados para este tipo de tumor sanguíneo, que afeta as células linfáticas. Ao fim de um ano de tentativas, acompanhado no IPO de Lisboa, a doença continua sem regredir. O que não diminuiu foi a vontade de viver.

A mulher, Ana Santos, pôs-se à procura e rapidamente identificou o tratamento com CAR T Cells, aprovado no verão passado na América, como uma eventual solução. Esta foi a boa notícia. A má, é que o tratamento, totalmente individualizado, tem um custo de quinhentos mil euros. Em linhas gerais, o que se faz é retirar um tipo células de defesa do sangue do doente, as células T, manipular estas mesmas células em laboratório, de forma a torná-las mais eficazes no combate ao tumor, e voltar a injetá-las no paciente. O procedimento desencadeia uma reação inflamatória tão violenta - o combate entre o sistema de defesa e o tumor - que muitos doentes acabam mesmo por ter de ser assistidos numa unidade de cuidados intensivos.

Ana Santos já contactou as principais unidades de saúde americanas, recebeu orçamentos por escrito e a indicação de que só será possível perceber se o tratamento pode ser usado no caso de Nelson depois de uma consulta presencial.

Acabada a ronda americana, Ana, responsável por um centro de dia no Algarve, que até agora só "percebia de doenças de idosos", está a meio de uma espécie de trabalho de detetive, à procura de um hospital europeu que utilize a técnica em regime de excepção, enquanto se aguarda a aprovação na Europa.

Ana Santos, e o próprio Nelson, estão conscientes dos riscos. E da incerteza. Mas enquanto esperam respostas, vão tentando eliminar os obstáculos possíveis. Um deles, o dinheiro. Para isso, o casal, apoiado por família e amigos, lançou uma campanha de angariação de fundos.

Com a família motard, Nelson Cebola vai percorrer o país, numa caravana, acompanhado dos amantes das motas, dos vários locais por onde irá passar. A viagem começa a 15 de março e em cada terra Nelson terá um poiso, onde poderá receber quem o quiser ajudar. "Se cada pessoa der um euro..."