Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Gostava de ter em casa uma cadeira de avião da TAP?

Sociedade

DR

O leilão online está a decorrer até domingo e as receitas revertem para uma associação que acolhe crianças em perigo. São mais de 60 lotes com cadeiras e armários que andaram a voar pelo mundo

Rosa Ruela

Rosa Ruela

Jornalista

Aqui na Redação já estamos a imaginar as pessoas a sentarem-se no sossego das suas casas e a apertarem imediatamente o cinto. Mesmo sem o sinal luminoso, apostamos que será esse o reflexo condicionado de quem comprar as cadeiras duplas ou triplas que a TAP está a leiloar.

Até domingo, 4 de março, há mais de 60 lotes à espera de serem licitados no site da eSolidar (uma plataforma online de angariação de fundos). Além de cadeiras de avião, de classe executiva ou económica, a transportadora disponibilizou armários, “cozinhas” e suportes para revistas, tudo em razoável estado de conservação.

DR

As bases de licitação vão dos 20 euros (suportes) aos 80 euros (cozinhas), e, ao fim de umas horas de leilão, algumas cadeiras duplas (com pequenas televisões individuais) já tinham interessados em comprá-las por 100 euros. Todas estiveram a uso na frota da transportadora, e, se fôssemos vândalos ao ponto de termos um dia rabiscado o nome durante um voo, era possível (embora improvável…) ainda descobríamos que não era a primeira vez que nos sentávamos nelas.

Esta também não é a primeira vez que a TAP doa materiais de avião. Desde o verão de 2016, a empresa já angariou mais de 16 mil euros com leilões semelhantes, apoiando, desta forma, quatro organizações sem fins lucrativos.

As receitas deste leilão irão na sua totalidade para a Associação Mimar, uma instituição de solidariedade social que criou um novo centro de acolhimento temporário – a Casa Mimar – “pensado para crianças em perigo, dos 0 aos 6 anos, sem família natural conhecida ou que tenham sido por ela abandonadas ou retiradas por decisão judicial”, explica-se no comunicado da TAP. “O valor angariado reverterá para fazer face a inúmeras despesas correntes, desde as contas de eletricidade, água e gás, até fraldas, papas, soro fisiológico ou chupetas.”

Os materiais disponíveis em leilão estão guardados num armazém da EAD, uma empresa pioneira em custódia e gestão de arquivo, que disponibilizou o espaço pro bono.