Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

"É degradante": Ex-primeira-ministra canadiana sobre mulheres aparecerem de braços nus na televisão

Sociedade

DON EMMERT / GettyImages

O comentário partilhado na rede social Twitter foi uma crítica às jornalistas que mostram os braços nus na TV e causou indignação

"Braços nus diminuem a credibilidade e a dignidade", foi a declaração de Kim Campbell - a única mulher até o momento a ser primeira-ministra do Canadá - no Twitter. O comentário de Campbell, que atuou como chefe de Governo em 1993, não foi bem recebido pelos utilizadores da rede social.

Para justificar a sua declaração, a ex-primeira-ministra canadiana inseriu em seu tweet um link para um texto que sugere que quanto mais roupas uma pessoa usa, mais ela é vista como inteligente. "Aparentemente, nós seres humanos somos criaturas muito simples. Se alguém aparece diante de nós com a pele exposta, vamos pensar sobre seu corpo. Se estiver vestindo muita roupa, pensamos na sua mente", declara no seu blog o autor do texto, Nick Morgan.

Os utilizadores do Instagram reagiram com aversão ao comentário de Campbell. Muitos o exemplo da ex-primeira-dama americana, Michelle Obama, que muitas vezes usa vestidos sem manga. A resposta de Kim Campbell para o exemplo foi que Michelle "não lê as notícias".

"Não acredito que mostrar os braços nus diminua a credibilidade. Os telespectadores não deveriam concentrar-se no que está a ser dito e não numa roupa? Eu acho que as pessoas devem vestir-se como se sentem confortáveis e o que as faz sentir confiantes. As mulheres na televisão são criticadas todos os dias, gostava que isto acabasse", alegou Natasha Pace, repórter da Global News Halifax.

A jornalista de política Janice Dickson partilhou em sua conta no Twitter que usou vestidos sem manga na TV durante o verão. "Nunca tive a impressão de que fui levada menos a sério porque não estava vestida para o inverno". A ex-chefe de Governo canadiana replicou ao dizer que "os homens não desistiram de suas jaquetas ao usar camisolas de manga curta".