Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

60% dos adultos recorrem ao álcool para lidar com o stress

Sociedade

Um estudo de uma instituição do Reino Unido revelou que quase 60% dos britânicos entre os 18 e os 75 anos ingere bebidas alcoólicas para ajudar a lidar com a pressão do dia-a-dia

Cátia Leitão

A Drinkaware, uma instituição de caridade do Reino Unido que se dedica a ajudar as pessoas a fazer melhores escolhas sobre o consumo de álcool, realizou um estudo que envolveu 6,174 adultos britânicos com o objetivo de perceber as principais razões que levam à ingestão de bebidas alcoólicas.

Entre março e abril do ano passado, a instituição entrevistou os inquiridos sobre os seus padrões de consumo de álcool, apresentando-lhes um inquérito no qual eram descritas várias razões para beber álcool. Os participantes tinham de classificar cada razão consoante o seu próprio consumo, entre "nunca", "raramente", "frequentemente", "a maior parte das vezes" e "sempre".

Porque ajuda a aproveitar uma festa, porque é divertido e porque torna os convívios mais interessantes foram algumas das razões apresentadas aos participantes, bem como outras mais ligadas a validação social como beber para não ser deixado de parte, para agradar e para se encaixar num determinado grupo de pessoas.

Mas 47% disseram que bebiam para se animar quando estavam de mau humor, 41% bebem quando se sentem deprimidos ou nervosos e 38% bebem para esquecer os problemas - isto significa que 3 em cada 5 dos adultos admitem que bebe álcool para conseguir lidar com a pressão do dia-a-dia, o que representa 58% dos inquiridos.

Os participantes foram ainda classificados segundo o risco de se tornarem alcoólicos. Dos que revelaram beber para esquecer os problemas, 57% apresentavam alto risco. No caso das pessoas que dizem beber para se animar, esta percentagem passa para 55% e daqueles que bebem quando se sentem deprimidos, 54% são de alto risco.

O estudo revelou que estas tendências são bastante similares tanto nos homens como nas mulheres e que ocorrem em todas as faixas etárias. No que diz respeito às classes sociais, 44% das pessoas de classe mais baixa bebem para lidar com os problemas enquanto que nas classes mais altas esse número passa a 33 por cento.

Elaine Hindal, diretora executiva da Drinkaware, diz que "embora as pessoas pensem que beber um copo depois de um dia complicado as ajuda a relaxar, a longo prazo isso pode contribuir para sentimentos de depressão e ansiedade e para tornar o stress ainda mais difícil de lidar" e explica que isto acontece porque "beber muito e regularmente interfere com os neutransmissores cerebrais que são necessários para uma boa saúde mental".

A diretora alerta ainda que "o número de pessoas que bebe quando se sente deprimido e nervoso, e a níveis que podem ser prejudiciais para a saúde mental e física, é muito preocupante". Além disso, alerta, "o álcool e a depressão podem alimentar-se um ao outro para criar um círculo vicioso".