Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Marcelo acredita que "todos estiveram à altura das circunstâncias" na tragédia de Vila Nova da Rainha

Sociedade

MARIA JOAO GALA / GettyImages

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deslocou-se hoje ao final da manhã a Vila Nova da Rainha, onde um incêndio sábado à noite numa associação recreativa matou pelo menos oito pessoas e feriu outras 38

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deslocou-se hoje ao final da manhã a Vila Nova da Rainha, onde um incêndio sábado à noite numa associação recreativa matou pelo menos oito pessoas. Marcelo Rebelo de Sousa quis ir ao local do incêndio e perceber o que aconteceu. Falou com o Presidente da Câmara de Tondela e fez questão também de elogiar o rápido socorro às vítimas.

No local, o Presidente elogiou a atuação das forças de socorro, de segurança e dos elementos do Governo. "Todos estiveram à altura das circunstâncias numa situação que desejaríamos não ter ocorrido". Marcelo Rebelo de Sousa está também seguro de que a Associação Cultural, Recreativa e Humanitária de Vila Nova da Rainha, em Tondela, onde no domingo à noite houve um incêndio, cumpria os requisitos para a sua atividade.

Em declarações aos jornalistas no final de uma visita ao piso de baixo da associação, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que, segundo o presidente da Câmara de Tondela, a associação "tinha os licenciamentos e o que era preciso para este tipo de atividade".

Questionado sobre o facto de as pessoas que estavam dentro da associação terem tentado fugir por uma porta que abria para dentro, o Presidente da República explicou que "havia ao lado uma porta que abria precisamente para fora".

"Como a que ficava em frente das escadas era a mais óbvia, a mais utilizada, e a outra normalmente estava fechada, aquela que podia ter dado saída para o piso que ficou praticamente incólume (o piso de baixo), não foi utilizada", contou.

29 feridos ainda hospitalizados

Pelo menos 38 pessoas ficaram feridas no incêndio de sábado numa associação recreativa em Tondela, que provocou a morte a oito pessoas, segundo dados do Ministério da Saúde.

No local foram triadas 46 vítimas dos incêndios, sendo que oito delas foram vítimas mortais.

Segundo dados transmitidos à agência Lusa por fonte oficial do Ministério da Saúde, dos 38 feridos, nove já tiveram alta hospitalar.

Treze dos feridos do incêndio estão internados no hospital de Viseu, dois deles em cuidados intensivos, segundo o presidente da administração Centro Hospitalar Tondela -- Viseu, Cílio Correia.

Houve ainda 16 feridos que foram enviados para outras unidades hospitalares: cinco para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, para o Porto foram três feridos para o hospital São João, dois para o Santo António e um para a Prelada - este com "prognóstico reservado", enquanto para Lisboa foram encaminhados dois para o Santa Maria, dois para o São Francisco Xavier e um menor para o Dona Estefânia.

No local estiveram 36 meios operacionais do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), entre eles seis viaturas médicas de emergência e reanimação, quatro unidades de psicologia, seis ambulâncias de emergência médica e também quatro helicópteros, dois deles da Força Aérea.

Segundo os dados do Ministério da Saúde, mais de 70 elementos do INEM estiveram envolvidos.

O incêndio deflagrou durante um jantar numa associação recreativa de Vila Nova da Rainha.

A Lusa não conseguiu ainda apurar junto das autoridades as causas do incêndio.