Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Internet comovida com imagem dolorosa de menina e avô, ambos em estado terminal

Sociedade

A pequena Braylynn tem cinco anos e uma sentença de morte: a forma mais fatal de cancro no cérebro. A imagem partilhada no Facebook pela mãe mostra-a na cama do hospital enquanto, sentado a seu lado, o avó, também em estado terminal, exibe no rosto a dor e desespero de toda a família

Sempre que Ally Parker fala da filha, os "likes' e comentários chegam aos milhares. Mas a imagem que fez a história da norte-americana Braylynn Lawhon chegar a vários meios de comunicação social internacionais, gerando uma onda de solidariedade online, é esta: a menina de cinco anos, ventilada, com o avô ali perto, sentado numa poltrona de hospital, numa postura clara de desespero e angústia.

A criança recebeu a 6 de dezembro do ano o diagnóstico de Glioma Pontino Íntrínseco Difuso (DIPG na sigla em inglês), uma forma de cancro cerebral incurável e, desde então, o seu estado de saúde deteriorou-se rapidamente. Além do drama da menina, também o avô, Sean Peterson, se encontra em fase terminal na sequência de uma doença degenerativa que já lhe roubou a fala.

A família, que vive na Florida, chegou a conseguir reunir dinheiro suficiente para pagar um tratamento muito dispendioso no México, mas o seu estado agravou-se de tal forma no início deste mês, com uma hemorragia localizada no tumor, que os médicos disseram à família para esperar a sua morte em algumas horas.

"Daqui a alguns dias vou ter de enterrar esta menina linda. Meses, talvez semanas mais tarde, terei de enterrar o meu pai. Os meus dois heróis, mortos, no mesmo ano", escreveu Ally Parker noutra imagem da filha e do neto que publicou também no Facebook.

Já esta quinta-feira, Parker partilhou "boas notícias": um médico, com quem a família irá reunir amanhã, quer, segundo as palavras da mãe, "tratar" Braylynn.

"A possibilidade da sua morte ainda é muito provável, mas, mais uma vez, deram-nos um vislumbre de esperança", escreve.