Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Respostas essenciais para escapar à gripe

Sociedade

DR

Nas próximas duas semanas deverá registar-se o pico da atividade gripal no País. Saiba que tipo de gripe é esta e como se pode proteger

Vânia Maia

Vânia Maia

Jornalista

Os vírus da gripe predominantes este inverno são especialmente agressivos?

Os vírus dominantes nesta estação têm sido os de tipo B, que provocam épocas gripais mais moderadas. Até agora, o vírus B Yamagata é predominante e, apesar de não estar contemplado pela vacina deste ano, tal não é preocupante porque a imunização é igualmente eficaz na prevenção de complicações. Por norma, as crianças são mais afetadas pelos vírus de tipo B. Também estão em circulação dois tipos de vírus da gripe A, o H1 e o H3, estirpes mais agressivas, mas contempladas pela vacina.

Quando termina o período crítico?

É difícil prever. O pico da atividade gripal deverá acontecer nas próximas duas semanas, mas não será uniforme em todo o território. É possível que algumas regiões do norte do País já estejam a iniciar a fase descendente, ao contrário da zona centro e sul.

A gripe obriga a cancelar cirurgias nos hospitais?

De acordo com a Direção-Geral de Saúde (DGS), tudo depende dos planos de contingência dos hospitais, mas é uma prática habitual adiar cirurgias não urgentes durante os períodos de epidemia gripal, libertando camas necessárias para internamento. A DGS garante que são adiamentos pontuais rapidamente recuperados.

Ainda vale a pena a vacinação?

Este ano, bateram-se recordes na vacinação contra a gripe. Ao todo, foram inoculadas mais de 1,3 milhões de pessoas no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Sobram menos de cem mil vacinas nas farmácias e centros de saúde, mas a DGS continua a incentivar a vacinação porque o vírus da gripe ainda vai circular durante os próximos dois meses. Idealmente, a vacinação deve ser feita entre outubro e dezembro.

Quem deve ser vacinado?

Recomenda-se especialmente a vacinação aos maiores de 65 anos, doentes crónicos ou imunodeprimidos, grávidas e profissionais de saúde ou prestadores de cuidados. Também devem vacinar-se as pessoas entre os 60 e os 64 anos.

Quem tem direito à vacinação gratuita?

A vacina é gratuita nos centros de saúde, sem necessidade de declaração médica, para os maiores de 64 anos, as pessoas com diabetes Mellitus, com síndrome de Down, que façam diálise ou tenha sido submetidas a transplante. Necessitam de declaração médica os pacientes que aguardam transplante, façam quimioterapia, tenham fibrose quística ou doença crónica que comprometa as funções respiratórias. Também têm direito à vacina os profissionais do SNS, os bombeiros com atividade assistencial e os residentes em instituições.

Nas restantes situações a vacina pode ser adquirida na farmácia com receita médica, beneficiando de uma comparticipação de 37%.

Como se transmite a gripe?

O vírus transmite-se através da saliva e do contacto com superfícies ou partes do corpo contaminadas (as mãos, por exemplo). O período de incubação é, habitualmente, de dois dias, mas pode variar entre um a cinco dias. Já o contágio começa um a dois dias antes dos sintomas e pode durar até sete dias depois do seu aparecimento.

A transmissão do vírus pode ser evitada reduzindo o contacto com outras pessoas, lavando as mãos com frequência, usando lenços descartáveis e espirrando ou tossindo protegendo a boca com um lenço ou com o antebraço, nunca com as mãos.

Quais são os sintomas?

A doença manifesta-se através de um súbito mal-estar, dores musculares e nas articulações, inflamação nos olhos, dores de cabeça, tosse seca e febre alta. Nos bebés, os principais sintomas são febre e prostração, mas também são comuns sintomas gastrintestinais e respiratórios. As otites médias são frequentes até aos 3 anos.

Como me posso proteger?

Evite ter frio, mantenha o corpo hidratado e quente e, em casa, assegure uma temperatura entre os 18ºC e os 21ºC. As portas e janelas devem estar calafetadas para evitar a entrada de ar frio e a saída de ar quente. Evite estar demasiado perto das fontes de calor e desligue o aquecimento antes de se deitar. Vista várias camadas de roupa e não utilize vestuário muito justo (dificulta a circulação sanguínea). Proteja as extremidades do corpo com gorro, luvas, meias quentes e cachecol. Esteja atento às previsões meteorológicas.

Se já estiver com gripe o que posso fazer?

Idealmente, fique em casa em repouso. Não se agasalhe demasiado e meça a temperatura com um termómetro ao longo do dia, se tiver febre pode tomar paracetamol (as grávidas ou lactantes devem consultar o seu médico). Use soro fisiológico para desobstruir o nariz e beba muitos líquidos. Não tome antibióticos antes de consultar um médico.

Se tiver dúvidas sobre o seu estado de saúde ligue para a linha SNS 24: 808 24 24 24.

  • A fase crítica da gripe está a chegar

    Sociedade

    A Direção-Geral de Saúde nega que esteja instalado o caos nos serviços de saúde, mas admite “picos de procura” devido à gripe. Quase cinco mil pessoas recorreram aos centros de saúde no fim-de-semana na região de Lisboa e Vale do Tejo e o Hospital Amadora-Sintra abriu mais 71 camas para responder ao aumento dos internamentos