Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Lisboa será a anfitriã da Eurovisão e Guimarães do Festival da Canção

Sociedade

Gleb Garanich / Reuters

O Parque das Nações e o Terreiro do Paço serão os dois polos principais do Festival da Eurovisão do próximo ano. Já a final do Festival da Canção da RTP será em Guimarães

Vânia Maia

Vânia Maia

Jornalista

A capital portuguesa irá a acolher a próxima edição do Festival da Eurovisão, depois da vitória histórica dos irmãos Luísa e Salvador Sobral no concurso deste ano.

A decisão foi confirmada pela RTP e pela União Europeia de Radiodifusão (UER), responsável pela supervisão do evento, ao final da tarde de hoje.

O Parque das Nações irá acolher as duas eliminatórias e a final da Eurovisão, agendadas para os dias 8, 10 e 12 de maio. Já o Terreiro do Paço será o local onde ficará instalado o Village, uma área de atividades paralelas ao festival. Haverá ainda eventos pontuais noutras zonas à beira-rio.

O concurso vai realizar-se no pavilhão Meo Arena, mas outros espaços do Parque das Nações estarão associados ao evento. A cerimónia exige a utilização de equipamento técnico a rondar as 800 toneladas de peso, algo que só salas da dimensão do Meo Arena, com capacidade para 20 mil espectadores, conseguem suportar.

A capacidade turística da cidade foi um dos motivos para a escolha recair sobre Lisboa. Entre os critérios de avaliação estiveram fatores como a capacidade hoteleira, a oferta cultural e de lazer ou a proximidade do aeroporto.

A proposta de ser Lisboa a acolher o certame partiu da RTP, mas teve de ser aprovada pela UER.

No entanto, chegaram a ser analisadas outras cidades, todas a norte, como Santa Maria da Feira, Gondomar, Guimarães, Porto ou Braga. Desse périplo resultou a opção de agendar a final do Festival da Canção da RTP para Guimarães. A Câmara Municipal vimaranense cedeu o Pavilhão Multiusos da cidade gratuitamente para o efeito.

O Festival da Eurovisão é o maior evento de entretenimento europeu, a seguir à Liga dos Campeões, com 200 milhões de espectadores potenciais. Envolve 42 delegações de diferentes países, 1500 jornalistas e espectadores vindos de todo o mundo, durante 15 dias.

Os custos da cerimónia rondam, em média, €30 milhões, o que representaria 11,6% do orçamento anual da RTP (€258 milhões), mas a estação pública, tal como tem acontecido noutros países organizadores, terá vários patrocinadores que ajudarão a garantir o financiamento. A Câmara Municipal de Lisboa, assim com o Turismo de Lisboa e de Portugal, serão alguns dos parceiros.

A canção Amar Pelos Dois, composta por Luísa Sobral e interpretada por Salvador Sobral, garantiu a primeira vitória de Portugal desde que o País começou a participar no certame, em 1964.

LEIA A ENTREVISTA DO ADMINISTRADOR DA RTP NUNO ARTUR SILVA À VISÃO NA EDIÇÃO QUE CHEGA ÀS BANCAS NA QUINTA-FEIRA, DIA 27