Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Lobistas da canábis fazem estudo e concluem que consumidores são mais bem sucedidos e satisfeitos

Sociedade

  • 333

© Mark Blinch / Reuters

Nem preguiçosos, nem apáticos, nem desocupados. Pelo contrário. Um estudo conduzido por uma empresa que dedica a estudar e impulsionar o mercado da canábis garante que, afinal, quem fuma charros é mais bem sucedido, satisfeito e até mais produtivo do que quem não o faz

O estudo da BDS Analytics foi baseado num inquérito a consumidores e não consumidores de dois estados americanos, a Califórnia e o Colorado, sobre vários fatores (mentais, sociais e financeiros). Aos inquiridos foi também pedido que avaliassem os seus níveis de satisfação com a vida em geral e que dissessem o que pensavam sobre a parentalidade.

Conquistas académicas e profissionais

Na Califórnia 20% dos consumidores concluíram um mestrado, ao contrário daqueles que não ponderam sequer o consumo de canábis, que, contam apenas com apenas 12% de licenciados com mestrado. No Colorado os resultados são semelhantes: 64% dos consumidores têm um emprego a tempo inteiro, um número que baixa para 54% no caso dos não consumidores.

Família

Os analistas concluiram também que é mais provável que os consumidores formem uma família: Na Califórnia, 64% dos que fumam canábis são pais, contra 55% dos não consumidores.

Vida social

No Colorado. 36% dos consumidores dizem ser “pessoas muito sociais”. A mesma resposta foi dada por 28% dos não consumidores.

Satisfação com a vida

Quando questionados sobre se estão satisfeitos com a vida, metade dos consumidores dizem que se sentem mais satisfeitos agora do que há um ano, enquanto apenas 40% dos não consumidores sentem o mesmo.

Voluntariado

Na Califórnia, 38% dos consumidores fazem voluntariado enquanto que apenas 25% dos não consumidores se envolvem neste tipo de trabalho.

"Os consumidores de cannabis estão longe das caricaturas historicamente usadas para descrevê-los", diz Linda Gilbert, da BDS, em comunicado de imprensa.