Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

São estes os culpados

  • 333

Os pirómanos. Os ministros. Os "interesses". Os eucaliptos. O azar. São eles. Não nós.

A culpa é dos eucaliptos, porque os pinheiros não ardem.

A culpa é de quem não limpa os terrenos, esses preguiçosos octogenários cheios de genica nos músculos.

A culpa é dos pirómanos, e pouco importa que só 3% dos fogos sejam provocados por eles.

A culpa é do Estado, que não trata das suas florestas, mesmo que 9 em cada 10 hectares sejam de privados.

A culpa é do governo, até porque o problema dos incêndios se resolve em menos de meia legislatura.

A culpa é dos políticos das últimas décadas, que se elegeram e reelegeram sem os nossos votos.

A culpa é dos bombeiros, essa força poderosíssima que tem de organizar angariações de fundos para comprar equipamento.

A culpa é dos interesses dos meios aéreos, mas onde é que eles estão que já cá deviam estar e nunca mais chegam e não vêm porquê?

A culpa é das leis, que a solução é pôr a coisa no papel.

A culpa é das celuloses, a quem dá jeito que arda a sua matéria-prima.

A culpa é de quem não mandou fechar a estrada, esse assassino que sabia perfeitamente que o fogo ia para ali e queria ver umas dezenas de pessoas a morrerem queimadas.

A culpa é da natureza, do clima, do terreno, da pobreza, da desertificação, do minifúndio, da monocultura, do abandono da pecuária, do aquecimento global, das trovoadas. Do azar.

A culpa é deles. Não é nossa. Com toda a certeza não é minha.

Sessenta e quatro pessoas. Mães, pais, filhos, avós. O Diogo. O Sérgio e a Lígia. O Ricardo. A Fátima. O Mário. A Felismina. A Alzira. O Luciano.

A Bianca, a pequena Bianca.