Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

A pulseira de identificação Estou Aqui! vai funcionar durante todo o ano

Sociedade

Em caso de desaparecimento, o programa da PSP aumenta a probabilidade de encontro das crianças e de adultos com problemas mentais também

A pulseira é constituída por uma fita em tecido e por uma chapa de material zamak, com acabamento de cobre e banho de níquel. A chapa contém um código alfanumérico e a inscrição Call/LIGA 112

A pulseira é constituída por uma fita em tecido e por uma chapa de material zamak, com acabamento de cobre e banho de níquel. A chapa contém um código alfanumérico e a inscrição Call/LIGA 112

Com a abertura da época balnear e as colónias de férias à porta, muitos são os pais ou encarregados de educação que procuram uma segurança extra, para deixarem os seus filhos participarem nessas atividades ao ar livre. Há cinco anos, foi criado pela Polícia de Segurança Pública (PSP), em parceria com a Fundação PT, o programa Estou Aqui! com a missão de ter uma forma de baixo custo que desse uma segurança extra aos pais. Começou por estar apenas disponível durante os meses de verão, entre junho e setembro. Agora, a partir desta sexta edição, a grande novidade é o alargamento aos 365 dias do ano. Apenas os pais ou os encarregados de educação oficiais e as escolas (para grupos) podem requisitar as pulseiras para crianças dos 2 aos 10 anos – outra das novidades, pois, até 2016, foi apenas até aos nove anos.

A cada pulseira está associado um número de código, através do qual a polícia, se encontrar uma criança perdida, entra em contacto com os pais. Entretanto, também já é possível acrescentar informação relevante sobre a criança à pulseira, como seja o quadro clínico, o grupo sanguíneo, alergias, medicação habitual, doenças crónicas ou outras incompatibilidades.

O programa mantém-se ativo nos países da União Europeia e sempre que as famílias viajarem para o estrangeiro toda a informação é partilhada na rede de polícias europeias e nos pontos de contacto Schengen.

Em paralelo à pulseira de identificação para crianças continua a funcionar o projeto-piloto direcionado a adultos com algum tipo de vulnerabilidade mental, como demência ou Alzheimer. Mas é preciso ter em conta que a pulseira não possui localizador GPS ou outro sistema de localização, nem é um dispositivo de emergência médica.

CONSELHOS ÚTEIS PARA PAIS E CRIANÇAS

- Os adultos devem explicar às crianças que se se perderem devem procurar um polícia

- As crianças não devem dizer o seu nome ou onde moram a estranhos

- Num local público, pais e filhos devem combinar antecipadamente um ponto de encontro no caso de se perderem

- As roupas de cores fortes e vivas são mais fáceis de localizar no meio de multidões

- Dirija-se para o último local onde viu a criança ou onde acredita que ela possa estar

- Qualquer adulto que encontre uma criança perdida deve também procurar um polícia e apenas este fará a ligação aos pais

- Se não encontrar um polícia, telefone para o 112

COMO PEDIR A PULSEIRA

- Entrar no site estouaqui.mai.gov.pt e preencher o formulário

- Levantar a pulseira na esquadra da PSP escolhida

- Depois de registada a pulseira é colocada no pulso

- INFORMAÇÕES - T. 21 811 1087 (10h-13h, 14h-17h) E-mail: estouaqui@psp.pt