Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Quem somos quando navegamos na internet?

Sociedade

Chris Jackson / GettyImages

Será que a internet, além de nos fazer perder a noção do tempo, também nos faz comportar como se fossemos outras pessoas? Cinco efeitos no nosso cérebro quando estamos online

Quando entramos no ciberespaço, raramente nos apercebemos que nos comportamos de outra forma, que muitas vezes difere da postura que temos no mundo real. "A tecnologia infiltrou-se em cada um dos aspetos da nossa vida", afirma Mary Aiken, psicóloga e autora do livro The Cyber Effect, que analisa a forma como o mundo digital alterou o comportamento humano, ao nível das suas emoções e perceções.

Aiken descreve o ciberespaço como "um mundo 'hiperconectado', em que tudo se amplifica e nos torna muito mais vulneráveis".

"Estamos a viver um momento histórico muito emocionante, que está a mudar muitos aspetos da vida na Terra. Mas nem sempre o que é novidade é bom e a tecnologia não é sinónimo de progresso", alerta a psicóloga.

"Muitos não dão conta. Estão em casa, sentados no sofá e quando estão online nada muda. Na sua mente não foram para nenhum lugar, mas as condições são diferentes das da vida real. Por isso os nossos instintos falham-nos no ciberespaço", acrescenta.

Aiken e outros psicólogos, como Patricia Wallace (The Psychology of the Internet, 1999) e John Suler (The Psychology of Cyberspace, 2001 e 2004), investigaram este fenómeno durante anos e observaram alguns efeitos que o mundo digital tem nas pessoas, que a BBC resumiu.

1 – "Posso ser o que quiser" (desinibição online)

"Este efeito é muito interessante porque faz com que as pessoas façam coisas no mundo cibernético que não fariam no mundo real", disse Aiken à BBC.

No mundo digital, as pessoas são menos simpáticas e têm mais tendência para ofender os outros. Uma das razões para este comportamento deve-se à ilusão de anonimato que a internet proporciona.

2 - "Não me conheces" (anonimato dissociativo)

Quando temos a possibilidade de não associar as nossas atitudes à nossa identidade pessoal, sentimo-nos menos vulneráveis ao confiar nos outros.

Este efeito tem como consequência um outro efeito: "É um estado mental menos inibido, as pessoas com ideias idênticas encontram-se mais facilmente", explica a psicóloga.

3 - "Não me podes ver" (invisibilidade)

Também o facto de não existir contacto visual aumenta o sentimento de desinibição. Segundo Aiken, a invisibilidade tem como consequência o que a psicóloga denomina de "cibersocialização" - uma forma de socialização acelerada potenciada pelas redes sociais, que influencia a maneira como nos relacionamos.

Outra das consequências é a diminuição da autoridade: na internet as pessoas têm mais tendência para ter comportamentos desapropriados.

4 - "Quanto tempo passou?" (distorção do tempo)

Este fenómeno tem sido estudado nos últimos anos. Em fevereiro deste ano, um grupo de investigadores do Centro de Neurociência Cognitiva e Sistemas Cognitivos da Universidade de Kent (Reino Unido), publicou um estudo que revelou que temos tendência em substimar as horas que passamos nas redes sociais.

A razão é que a internet transforma o nosso processo de atenção. Esta distorção do tempo está associada à assincronia do universo virtual: O facto de não termos de lidar com reações imediatas faz-nos estar mais descontraídos e perder a noção do tempo.

5 - "É só um jogo" (imaginação dissociativa)

No mundo virtual sentimo-nos como personagens imaginárias que criamos e que atuam num espaço diferente – a dimensão digital.

Muitas pessoas encaram o mundo virtual como um jogo, com regras e normas diferentes da vida real. Assim que desligam os dispositivos tecnológicos, regressam ao mundo real.