Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Como uma série de "partidas" para o YouTube levou pai a perder guarda dos filhos

Sociedade

  • 333

Reprodução YouTube

As "partidas" elaboradas pelo pai e pela madrasta terminavam muitas vezes com as crianças lavadas em lágrimas

No canal no YouTube a que chamaram DaddyOFive (pai de cinco, em português), Mike e Heather Martin, de Maryland, nos Estados Unidos, partilhavam os vídeos das várias "partidas" que pregavam aos filhos e que, com frequência, terminavam com as crianças a chorar. Em tribunal, o casal, pai e madrasta dos menores, alegou que a maioria das situações tinha sido encenada, mas o argumento não impediu que lhes fosse retirada a guarda de duas das crinco crianças, agora a viver com a mãe.

"Emma (de 12 anos) e Cody (de 9, o mais novo) estão comigo. Eles estão bem", anunciou a mãe, Rose Hall, também num vídeo publicado no YouTube, onde surge ao lado de seu advogado.

Num dos vídeos, Mike e Heather dizem a Cody que ele vai ser adotado por outra família, enquanto noutro espalham tinta no chão do seu quarto e, depois, acusam-no de o ter feito, deixando o menino a chorar compulsivamente. Outro vídeo mostra o casal a destruir à martelada a consolo de jogos de Cody.

Os vídeos das "partidas" foram, entretanto, apagados e no canal, que tem mais de 760 mil seguidores, está apenas disponível um pedido de desculpas, publicado a 22 de abril.

Segundo a imprensa norte-americana, o casal ganharia entre 182 a 320 mil euros por ano, graças a publicidade, até que começaram as acusações de abuso das crianças, chegando a circular uma petição para que a família fosse investigada.

A investigação ainda está a decorrer.