Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Comentário de 'troll' no Twitter ajudou a diagnosticar doença rara

Sociedade

  • 333

Cameron Spencer /Getty Images

Como figura pública, a apresentadora da Fox Sports Lara Pitt estava habituada a ignorar comentários desagradáveis, mas um em particular acabou por revelar-se inesperadamente útil

Em janeiro de 2015, depois de ter o primeiro filho, Lara Pitt sentia-se cansada. Exausta, na verdade. Sentia o coração demasiado acelerado e, durante a noite, o sono que o recém-nascido permitia não era tranquilo e terminava com transpiração abundante. A apresentadora da Fox Sports, e o médico, não deram grande importância aos sintomas. Pitt sentia-se um "zombie", conta, num artido publicado no site My Body and Soul, mas tinha acabado de ter um bebé, como poderia sentir-se diferente?

No entanto, o que Lara Pitt tinha, afinal, ia muito além da normal exaustão de ter um recém-nascido em casa: sofria de tiroidite pós-parto, uma condição autoimune que ocorre no primeiro ano pós-parto, um problema sério, se não for tratado, e relativamente raro.

Mas foi só oito meses depois do nascimento do filho, e no final do programa que apresentava, que um comentário no Twitter deu o alerta. "Não é incomum receber tweets sobre o que estamos a usar, como está o nosso cabelo, etc - é o mundo da tv em que vivemos", escreve Pitt. "Mas este era ligeiramente estranho. 'A Lara Pitt tem uma maçã de Adão?'", recorda.

Dias depois, reparou que, na verdade, tinha um alto visível na zona do pescoço, que uma ecografia e análises ao sangue confirmaram tratar-se da tiroidite pós-parto. Afeta 7 a 8% das mulheres, a apresentadora caiu nesse intervalo. Agora, decidiu partilhar a sua história para alertar outras mães, uma vez que os sintomas são confundidos pelos próprios médicos com cansaço vulgar ou mesmo depressão pós-parto. Conforme a tiroide esteja a trabalhar demais ou de menos, os sintomas variam. No seu caso, nalguns meses sentia-se deprimida, letárgica e não tinha leite suficiente, noutros, ansiosa, com um ritmo cardíaco aumentado, perda de peso e falta de qualidade de sono.