Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Warner Brothers arrisca-se a pagar quase mil milhões se não provar que fantasmas existem

Sociedade

Se os filmes Conjuring fazem os espectadores tremer de terror, desta vez algo está a aterrorizar o estúdio e os realizadores. E não é ficção

O estúdio e os cineastas da saga Conjuring - A Evocação, estão a ser processados pelo autor Gerald Brittle. O processo ronda os 900 milhões de euros e põe em causa os créditos do argumento que deu origem aos filmes, segundo o MSN News.

Brittle, autor do livro The Demonologist, publicado em 1980, sobre os Warrens, uma dupla de investigadores que estuda fenómenos paranormais, alega ter feito um acordo exclusivo com Ed e Lorraine Warren, enquanto, por outro lado, a Warner Brothers Pictures afirma que estabeleceu um acordo com os investigadores, cujos arquivos levaram à produção dos três filmes.

Mas o que faz desta disputa a mais bizarra da história de Hollywood é o facto de os estúdios alegarem que o argumento dos filmes é baseado em factos verídicos e não no livro de Brittle. Daqui que ou a Warner Brothers prova que os fantasmas existem mesmo (e que os aficionados da saga de terror não estiveram induzidos em erro todo este tempo) ou então arrisca-se a ter de pagar quase 850 milhões de euros.

Os filmes de terror lucraram mais de 800 milhões nas bilheteiras e estão previstos para breve mais dois filmes.