Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Estudo revela que 20% dos que pedem um segundo diagnóstico tinham mesmo recebido um errado

Sociedade

Joe Raedle/ Getty Images

Pneumonia, insuficiência cardíaca, insuficiência renal aguda e cancro são as doenças que mais vezes passam despercebidas aos médicos

Pedir ou não pedir uma segunda opinião médica é um dilema frequente. Mas uma investigação publicada no Journal of Evaluation in Clinical Practice, concluiu que mais de 20% dos pacientes obtiveram mesmo diagnósticos diferentes quando consultaram outro médico (da especialidade).

Os investigadores compararam diagnósticos de 286 pacientes, antes e depois de serem encaminhados para a Clínica Mayo a partir do seu prestador de cuidados de saúde primários, no Minnesota, EUA e perceberam que um em cada 5 pacientes obteve um segundo diagnóstico consideravelmente diferente do primeiro.

Apesar de os dados serem preocupantes, nem todos os casos precisam de uma segunda opinião, defende James M. Naessens da Divisão de Saúde Política e Pesquisa, da Clínica Mayo. "No entanto, com o diagnóstico de uma doença grave, se a doença não estiver a responder deacordo com o esperado, pode ser útil ter outra perspetiva", acrescenta Naessens.

Uma outra investigação, realizada no Reino Unido, concluiu que de mil pacientes que morreram em 10 hospitais, 5,2% das mortes podiam ter sido evitadas e quase um terço devido a um diagnóstico errado.

Pneumonia, insuficiência cardíaca, insuficiência renal aguda e cancro são as doenças que mais frequentemente passam despercebidas num primeiro diagnóstico.