Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Escolhido de Trump para o Ambiente diz que o aquecimento global não é culpa do homem

Sociedade

© Joshua Roberts / Reuters

As declarações de Scott Pruitt contradizem a posição pública da Agência de Proteção Ambiental, da qual é administrador

O administrador da Agência de Proteção Ambiental americana, Scott Pruitt, não está convencido de que o dióxido de carbono seja um dos principais causadores do aquecimento global, uma declaração que já foi criticada por cientistas, ambientalistas e por legisladores democratas.

"Considero que medir, com precisão, [a influência] da atividade humana no clima é algo muito desafiante e existe um grande desacordo acerca do seu nível de impacto. Por isso não, eu não diria que é uma principal causa do aquecimento global", referiu Scott Pruitt, na quinta-feira, numa entrevista ao canal CNBC.

A declaração do novo administrador contradiz a própria posição da Agência de Proteção Ambiental dos EUA. No website pode ler-se: "o dióxido de carbono é o principal gás de efeito estufa que está a contribuir para as recentes alterações climáticas".

Tanto a NASA como a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional também apresentam posições contrárias. Em janeiro, as duas instituições revelaram que a temperatura média do planeta subiu cerca de um grau desde o século XIX, uma mudança impulsionada, em grande parte, pelo dióxido de carbono emitido pelas ações humanas para a atmosfera.

Scott Pruitt, nomeado administrador do órgão de proteção ambiental por Donald Trump, já tinha mostrado, anteriormente, o seu ceticismo relativamente às alterações climáticas e ao aquecimento global.

Perante esta dúvida, muitos cientistas e ambientalistas têm-se pronunciado contra Donald Trump e Scott Pruitt. É o caso de Rush Holt, CEO da Associação Americana para o Avanço da Ciência, que disse que não acreditar no aquecimento global é como não acreditar na existência de gravidade.

Brian Schatz, um dos Senadores responsáveis pela pasta da ação climática, referiu que as declarações de Scott Pruitt mostram que não merece o cargo que ocupa. "Qualquer pessoa que negue mais de um século de convicções científicas básicas e previamente estabelecidas é desqualificado para ser administrador da Agência de Proteção Ambiental. Agora, mais do que nunca, o Senado tem de enfrentar Scott Pruitt e as suas visões perigosas".