Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Gaffe dos Oscars: Responsáveis pelos envelopes já têm guarda-costas

Sociedade

  • 333

Kevork Djansezian/ Getty Images

Desde que viram a sua identidade exposta e associada ao erro que tornou tão insólita a entrega do Oscar para Melhor Filme, Brian Cullinan e Martha Ruiz têm recebido cartas em casa

A PwC, empresa que valida e audita os envelopes dos vencedores do mais relevante prémio de cinema de Hollywood viu-se obrigada a contactar guarda-costas para garantir a segurança de Brian Cullinan e Martha Ruiz, os dois responsáveis pela chegada dos envelopes com os nomes dos vencedores a Warren Beatty e Faye Dunaway.

A notícia de que os dois consultores passarão a fazer-se acompanhar por guarda-costas foi avançada pela Associated Press depois de ambos terem recebido cartas em casa e de terem fotografias das suas famílias publicadas nos media.

Embora a consultora tenha assumido a falha e pedido desculpas, o episódio dos envelopes trocados, que deu erradamente a vitória ao filme La La Land de Damien Chazelle e só depois ao verdadeiro vencedor, Moonlight de Barry Jenkins, tem dado pano para mangas.

Este foi considerado já o pior erro da história dos Oscars, este ano na sua 89ª edição, e o erro foi exponenciado pela demora na correção, porque os produtores de La La land já estavam no palco a fazer os seus discursos de agradecimento quando receberem a informação de que não tinham, afinal, ganho o Oscar de Melhor Filme de 2017.

Segundo Cheryl Boone Isaacs, a Presidente da Academia, a gaffe teve por base a distração de Brian Cullinan, que minutos antes se "denunciou", quando publicou uma foto de Emma Stone nos bastidores depois de ter subido ao palco para receber o Oscar de Melhor atriz deste ano

Depois da expressão mediática brutal deste incidente, Brian Cullinan e Martha Ruiz foram impedidos de voltar a participar em qualquer outra cerimónia dos Oscars pela Academia das Ciências e Artes Cinematográficas.

Cheryl Boone Isaacs também já veio a público pedir desculpas pelo outro erro deste ano, quando no memorial apareceu a fotografia da produtora de cinema australiana Jan Chapman, ainda viva, em vez da imagem da falecida designer Janet Patterson.