Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Multas de velocidade disparam mais de 1600% em Lisboa

Sociedade

Avenida da Índia, Avenida Brasília e Túnel do Marquês são as zonas mais críticas da capital

Luis Barra

O volume de multas apanhadas pelos radares fixos de Lisboa disparou no último ano. Há condutores afogados em infrações, que recebem várias de cada vez e são notificados quase dois anos depois. Conheça os casos insólitos e as técnicas dos advogados para contestar as coimas duvidosas

Rui Antunes

Rui Antunes

Jornalista

Se é um dos que recebeu uma multa de velocidade ultimamente, não se admire. Não está sozinho. Entre novembro de 2015 e outubro de 2016, foram processadas 66874 multas com base nos radares fixos de Lisboa. Um aumento de 1633% num ano, que tem pesado no bolso de muitos condutores.

As zonas críticas da capital são conhecidas: Túnel do Marquês, Avenida Brasília e Avenida da Índia. Pelo país há 50 novos radares em funcionamento. Às notificações tardias - muitas vezes quase dois anos depois - e de várias infrações de cada vez, acumulam-se os casos insólitos, como os pedidos de pagamento em duplicado.

Na edição esta semana nas bancas, a VISÃO analisa (num dossiê de 12 páginas) o aumento das multas, fala com advogados e especialistas em prevenção rodoviária e explica as técnicas utilizadas pelos juristas para contestar os vários tipos de infrações duvidosas, que variam conforme sejam de velocidade, condução ao telemóvel, álcool ou estacionamento. Numa coisa todos concordam: com o aumento extraordinário de coimas e a forma tardia como os cidadãos são notificados, é discutível a fronteira entre a prevenção e o negócio.

SAIBA MAIS NA EDIÇÃO 1249 DA VISÃO DE 8 DE FEVEREIRO, JÁ NAS BANCAS