Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Estar sempre a fazer posts no ginásio pode ser sinal de distúrbios alimentares

Sociedade

DR

Estudo recente sobre o tema encontrou uma relação forte entre as duas variáveis

Se, com uma pesquisa muito rápida, pesquisar o #fitspiration (mais de 10 milhões), o #nopainnogain (mais de 10 milhões), o #healthylife (mais de 9 milhões) facilmente chega a um mundo interminável de publicações (com corpos torneados, pratos esverdeados e treinos intensos) sobre o tema do momento: ser fit.

Além da moda das publicações, está também em voga a ideia de um auto-melhoramento acessível a todos e uma pressão social, muito exponenciada pelas redes socias, para ser fit e procurar melhorar o corpo a cada dia fazendo exercício e comendo bem, por vezes sem medir os limites.

O estudo

Segundo um estudo da Universidade de Adelaide, na Austrália e publicado no International Journal of Eating Disorders, esta constante necessidade de partilha compulsiva de uma vida saudável e desportiva pode ser um indicio de um distúrbio alimentar.

O estudo analisou o caso de 200 mulheres (100 que partilham regularmente fotos de inspiração fit e 100 que partilham regularmente fotografias de viagens). Ambos os grupos em estudo tinham um índice de massa corporal semelhante mas a idade era relativamente diferente.

O trabalho de análise foi feito com base num inventário de distúrbios alimentares que avalia o risco de magreza extrema, bulimia e de insatisfação relativamente ao corpo. A dependência das participantes relativamente à atividade desportiva compulsiva também foi testada com uma escala de quatro padrões emocionais que mediam o nível de vergonha e depressão de cada uma delas por perderem um treino.

Os resultados

As grandes utilizadoras do #fitspiration tiveram resultados mais elevados ns escala que mede o risco de magreza extrema e bulimia por comparação com as adeptas de publicar viagens.

A diferença de satisfação em relação ao corpo não era estatisticamente significativa entre ambos os grupos. Pouco menos de um quinto (17.5%) das mulheres que postavam fotos de fitness revelavam um risco de distúrbio alimentar clinicamente provado.

Segundo os autores, "as mulheres que publicam demasiadas fotografias de inspiração fit têm mais probabilidade de ter comportamentos desportivos e alimentares prejudiciais à sua saúde física e mental. Parece provável, que mesmo que se apresentem como fit e saudáveis, postar regularmente esses temas nas redes sociais é uma forma culturalmente comprovada de racionalizar demasiado as restrições alimentares, comer de forma disfuncional e praticar exercício em excesso."