Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Advogado morreu atropelado pelo próprio jipe no dia de Natal

Sociedade

Álvaro Dias tinha sido condenado em novembro a cinco anos e meio de prisão efetiva, por falsificação de sentenças e burla agravada, num caso denunciado pela VISÃO em 2007. Morreu ao chegar a casa, na Herdade Mata do Duque, em Santo Estêvão, concelho de Benavente

Recorde:

Advogado denunciado pela VISÃO condenado a 5 anos e meio de prisão

O advogado Álvaro Dias tinha chegado a casa para o almoço de Natal quando, após estacionar o seu Range Rover num terreno inclinado, o carro começou a descair em marcha-atrás. Ao aperceber-se da situação, tentou voltar a entrar no veículo para o travar, mas terá embatido numa árvore depois de ter conseguido abrir a porta e acabou por ser atropelado. A mulher do advogado de 56 anos assistiu ao acidente.

Os Bombeiros Voluntários de Benavente foram chamados ao local, por volta das 13 horas, assim como uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), mas Álvaro Dias já não apresentava sinais de vida quando os meios de socorro chegaram à Herdade Mata do Duque, um empreendimento de luxo na localidade de Santo Estêvão. A Polícia Judiciária também se deslocou à propriedade, no concelho de Benavente, dadas as circunstâncias invulgares que vitimaram este advogado recentemente condenado a cinco anos e meio de prisão efetiva.

Álvaro Dias era natural de Tábua, distrito de Coimbra, e há um mês tinha sido considerado culpado de burla agravada e falsificação de sentenças, na sequência de um artigo da VISÃO, em 2007, que denunciava as práticas irregulares de um tribunal arbitral, em Lisboa.