Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Homem que é homem, agora, usa meias coloridas

Sociedade

  • 333

As calças ficaram um pouco mais curtas e isso trouxe uma nova tendência para o universo masculino que não teme arrojar: as meias coloridas

Usar meias coloridas mostra personalidade: afinal o homem só pode brincar nos detalhes”, diz Juliana Cavalcanti, consultora de imagem brasileira radicada em Lisboa, que respira moda e esbanja estilo. “Uma meia vermelha num smoking pode bem fazer a diferença”, acrescenta João Jacinto, especialista em moda masculina e autor do blogue Gentleman's Journal.

E é isto: num primeiro momento podem parecer estranhas, mas parece que combinam com todas as ocasiões e visuais, dando um toque de modernidade a qualquer look – uma opinião que não é apenas dos dois cronistas do site da VISÃO. Juntam-se ao Elite Daily, site que, no verão passado, já escreveu como os homens que usam meias assim são mais rebeldes, intrigantes e bem sucedidos.

“Podem ter bolinhas, bandeiras americanas, super-heróis ou robôs. Quem as usa revela atitude”, afiançava a Elite Daily, a plataforma de notícias e entretenimento que se assume como a voz da geração Y, os chamados Millennials (pessoas nascidas entre o princípio dos anos 80 e o final dos 90), que é quem está a conduzir esta revolução subtil. São eles quem se recusa a deixar que a norma social lhes diga o que podem usar – e os outros respeitam isso. A verdade, segue aquela publicação, é que o que usamos diz muito da nossa personalidade e há estudos a confirmar que isso é bom. “A roupa que vestimos também afeta o nosso processo cognitivo”, garante o psicólogo social Adam Galinsky, professor da Columbia Business School, em Nova Iorque, citado pela mesma Elite Daily, ao insistir que usar certas peças de roupa pode dar-nos a confiança que precisamos para nos propormos a determinadas tarefas, mudando literalmente a forma como pensamos e agimos.

Hoje toda a gente parece estar a usá-las – de executivos a antigos presidentes, uma moda muito atribuída aos empreendedores de Silicon Valley. Embora, como insiste o New York Times, meias berrantes andem a dar nas vistas desde 1700's, e sabemos desde que há historiadores a estudar estas coisas.

Provocadoras e com piada

Ainda assim, a ajudar os portugueses neste processo, a partir de dia 22, estarão nas lojas as meias desenhadas pela Wasted Rita, nome artístico de Rita Gomes, a designer e ilustradora gráfica que escreve umas frases provocadoras e no ano passado integrou a maior exposição de Banksy em Inglaterra. Brancas com escritos a preto e apontamentos a vermelhos serão o mais recente expoente da coleção Local Hero, da marca Happy Socks, a desenhar felicidade para os pés desde 2008 – quando um publicitário e um designer suecos uniram esforços e se lançaram no mercado das meias. A fazer sucesso em 70 países, tiveram também um empurrãozinho do rapper Snoop Dogg, da Billionaire Boys Club (uma das marcas de roupa do músico Pharrel Williams), e ainda uma outra parceria mais recente com o realizador Robert Rodriguez.

“A verdade é que a maneira como te vestes espalha aquilo que sentes”, remata João Jacinto. Juliana Cavalcanti concorda: “Gosto imenso: revela alguém seguro de si e que não está preocupado com o que os outros vão dizer.”

Uma questão de atitude

“Podem ter bolinhas, bandeiras americanas, super-heróis ou robôs. Quem as usa revela atitude”, afiança o Elite Daily, site que se assume como a voz dos Millennials, gente na casa dos 20 aos 30 e poucos anos, que é quem está a conduzir esta revolução – e que a partir de dia 22 conta com a ajuda da portuguesa Wasted Rita, autora destes exemplares brancos com escritos a preto e pormenores a vermelho