Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Os acidentes mais graves com comboios portugueses

Sociedade

  • 333

O acidente de Alcafache foi o mais grave da história da CP

O acidente esta manhã com um comboio da CP, que descarrilou quando fazia o trajeto entre Vigo e o Porto, e que provocou pelo menos quatro mortos e oito feridos graves, junta-se a uma já extensa lista de trágicos desastres ferroviários com composições portuguesas

Eram 9h30 em Espanha, 8h30 em Portugal continental, na manhã desta sexta-feira. Um comboio da CP, com mais de 60 passageiros, alguns dos quais portugueses, que fazia a ligação entre Vigo e o Porto, começou a descarrilar quando se aproximava da estação de Porriño e colidiu com um poste de eletricidade, segundo o jornal La Voz de Galicia.

Desconhecem-se as causas do acidente, e um dos quatro mortos confirmados é o maquinista português da composição. As últimas informações indicavam a existência de oito feridos graves e 42 ligeiros.

Este acidente vem juntar-se à lista de cerca de três dezenas de desastres ferroviários com composições portuguesas, alguns dos quais resultaram em verdadeiros morticínios.

O mais grave continua a ser o que ocorreu a 11 de setembro de 1985 perto da estação de Moimenta-Alcafache e que, estimava o relatório oficial da CP, causou cerca de 49 mortos e 64 desaparecidos. Estes números incertos dão bem conta da brutalidade da colisão de uma composição do Sud Express com outra de serviço regional, junta àquela estação da Linha da Beira-Alta. Mais tarde a estimativa apontou um total de cerca de 150 mortos.

Outro desastre ferroviário brutal aconteceu a 26 de julho de 1964 na Linha do Porto à Póvoa de Varzim e Famalicão. O número de vítimas mortais também acabou incerto, sendo calculado entre 91 e 102. A tragédia ocorreu quando uma carruagem de cauda se desengatou da composição e depois descarrilou, indo colidir com um pontão. Havia peso a mais provocado por sobrelotação, mas também se apontou o excesso de velocidade como causa do acidente.

Um ano antes, em 1963, no dia 28 de maio, a cobertura de cimento das gares da estação do Cais do Sodré, em Lisboa, desabou, provocando 49 mortos e dezenas de feridos.

LISTA DOS ACIDENTES MAIS GRAVES COM COMBOIOS PORTUGUESES

10 de setembro de 1919 A caldeira de uma locomotiva a vapor do comboio do Monte, na Ilha da Madeira, explode, provocando 4 mortos e vários feridos.

9 de novembro de 1921 Em consequência das convulsões políticas da I República, um atentado provoca o descarrilamento de uma composição proveniente do Algarve na estação da Figueirinha, na Linha do Alentejo, fazendo 9 mortos e cerca de 90 feridos.

31 de março de 1952 Um desabamento de terras sobre a via, junto ao farol da Gibalta, causa o descarrilamento de uma composição na Linha de Cascais, provocando 10 mortos e 38 feridos.

13 de setembro de 1954 Uma composição de passageiros, em serviço rápido, vinda de Vila Real de Santo António, descarrila entre o apeadeiro das Pereiras e a estação de Santa Clara-Sabóia, na Linha do Sul, acidente de que resultam 34 mortos e igual número de feridos.

26 de julho de 1964 Na Linha do Porto à Póvoa de Varzim e Famalicão, a unidade de cauda de uma composição desengata-se, descarrilando e colidindo com um pontão. Este acidente foi provocado por peso a mais devido a sobrelotação, embora também se aponte um possível excesso de velocidade como causa. Resultado: entre 91 e 102 vítimas mortais.

26 de abril de 1984 A colisão entre um autocarro e uma automotora junto ao apeadeiro de Recarei-Sobreira, em Paredes, provoca 17 mortos e vários feridos.

11 de setembro de 1985 Uma composição do Sud Express, e outra de serviço regional, colidem junto à estação de Moimenta-Alcafache, na Linha da Beira Alta. O relatório oficial da CP estima cerca de 49 mortos e 64 desaparecidos. Mais tarde conclui-se que morreram cerca de 150 pessoas. Até à data, é o pior acidente ferroviário ocorrido em Portugal.

5 de maio de 1986 Uma colisão entre dois comboios (um rápido e um regional) na estação da Póvoa de Varzim, na Linha do Norte, causa 17 mortos e mais de 80 feridos.

29 de maio de 1994 O embate entre um autocarro e uma automotora numa passagem de nível próxima do apeadeiro de Rates, na Linha do Porto à Póvoa de Varzim e Famalicão, resulta em 5 mortos e 21 feridos.

8 de novembro de 1997 A colisão entre uma automotora e uma composição, junto à estação de Estômbar-Lagoa, na Linha do Algarve, provoca 6 mortos e 14 feridos.

4 de abril de 2002 Duas automotoras colidem junto à localidade de Casal do Espírito Santo, numa secção de via única do Ramal da Lousã, causando 5 vítimas mortais e 11 feridos.

11 de março de 2008 Uma ambulância é colhida por uma composição numa passagem de nível na localidade de Montijos, em Leiria, provocando a morte de 4 pessoas.

1 de setembro de 2009 Uma colisão entre um automóvel e uma automotora, numa passagem de nível sem guarda na Linha do Douro, resulta em 5 mortos e 2 feridos.

9 de junho de 2010 Três pessoas são colhidas por uma composição internacional proveniente de Paris, com destino a Lisboa, na freguesia de Riachos, Torres Novas.