Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Moledo - Os 'resistentes' do Minho

Praias

  • 333

Filipe Paiva

O verão com contornos de religiosidade

Enfeitiçados pela tríade mar, montanha e rio, os irredutíveis de Moledo, fustigados por nortadas e congelados até aos ossos pela água gélida, mantêm-se de geração para geração. Afinal, existem sempre as caminhadas pela mata do Camarido, a visita à feira semanal de Cerveira, os bailaricos e torneios de cartas no restrito Ínsua Clube, o saltinho a Espanha, ali tão perto, como recorda o Monte de Santa Tecla.

"É uma praia fantástica, cheia de iodo", elogia Manuel Simão. "Os meus netos não saem daqui e há o reencontro, todos os verões, com os amigos." Natural de Caminha, há dez anos, com a reforma, regressou às origens e comprou casa em Moledo. "Era o sonho, parar e ficar por aqui. A tensão arterial baixou logo para 6/12." Manuel Simão é um dos que costumam alugar barraca, de ano para ano, acessório obrigatório por estas paragens. "Tenho reservas até 2016", conta Júlio Barbosa, o concessionário. Na segunda quinzena de agosto, a mais concorrida, figuras como o constitucionalista Jorge Miranda ou o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, dão o ar da sua graça. O maestro António Victorino d'Almeida regressa todos os anos para recuperar energias e faz questão de organizar um ciclo de concertos pelas freguesias de Caminha, com convidados de gabarito.

O ritual minhoto também passa por uma visita de barco à ilha onde está o vigilante do forte da Ínsua. "É um deserto, o sol é a dobrar e tem muito onde se abrigar do vento", diz o barqueiro Mário Vasconcelos. Há mesmo quem leve um tacho e despache logo os frutos da apanha de caramujo, mexilhão e lapas. "Limpam todo o stresse", metaforiza o barqueiro.

Como lá chegar: Do Porto, entrar na A28, em direção a Caminha, apanhar a saída para Moledo e percorrer meia dúzia de quilómetros na EN 13. Mais informações úteis: para dar um saltinho a Espanha, o ferry Santa Rita de Cássia assegura as ligações fluviais entre Caminha e A Guarda, das oito às 21 horas, a partir de €0,80 o passageiro ou €2,75 o automóvel. Como alternativa, existe a ponte internacional em Vila Nova de Cerveira, com ligação a Goyan. Na praia do Camarido, na foz do Minho, é possível apanhar um barco para a ilha da Ínsua, custando €7 o bilhete de ida e volta (mínimo de três pessoas por viagem)