Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Uma semana para chegar a acordo

Portugal

  • 333

O PS indicou Alberto Martins e o CDS apontou Mota Soares para liderar conversações sobre acordo de salvação nacional, juntando-se assim a Jorge Moreira da Silva, do PSD. As negociações já começaram e há uma semana para chegar a acordo

PSD, PS e CDS-PP iniciaram hoje as conversações e fixaram o prazo de uma semana para "dar boa sequência aos trabalhos previstos para a procura de um 'Compromisso de salvação nacional'", pedido pelo Presidente da República.

"O processo de diálogo interpartidário começou hoje com os representantes do PSD, PS e CDS-PP, tendo-se discutido a metodologia de trabalho e fixado o prazo de uma semana para dar boa sequência aos trabalhos previstos para a procura de um 'Compromisso de salvação nacional'", referem comunicados iguais enviados pelos três partidos.

Alberto Martins, Mota Soares e Moreira da Silva lideram comitivas 

O secretário-geral do PS, António José Seguro, comunicou ao Presidente da República "disponibilidade imediata" para as conversações para um "compromisso de salvação nacional" e indicou Alberto Martins para chefiar a delegação socialista.

Esta informação consta de um comunicado publicado hoje no 'site' do PS, designado "compromisso de salvação nacional", segundo o qual não houve "contactos informais entre os três partidos políticos".

Nesta nota, o PS manifesta disponibilidade para reunir, a partir das 16h00 horas de hoje, "com todos os partidos políticos que concordem com os três pilares propostos pelo Presidente da República, incluindo a realização de eleições antecipadas em junho de 2014".

Este anuncio segui-se à recusa pública do Bloco de Esquerda e do PCP em participar nas negociações.

O CDS-PP indicou hoje ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares, para chefiar as negociações com o PSD e o PS com vista ao "compromisso de salvação nacional" pedido pelo Presidente da República.

De acordo com fonte da direção do CDS-PP, o nome de Mota Soares foi indicado ao Presidente da República, Cavaco Silva, na quinta-feira mas os democratas-cristãos entenderam não o divulgar antes por "uma questão de reserva".

Pelo PSD já se sabia desde o final da semana que será o vice-presidente Jorge Moreira da Silva a chefiar a delegação.