Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Uma gaffe na queijaria

Portugal

  • 333

A aventura de Pedro Passos Coelho na loja do compadre de Dias Loureiro

A queijaria Sabores do Dão, em Aguiar da Beira, nunca pensou vir a ter tanta publicidade. O facto de ser propriedade de um compadre de Dias Loureiro já era marketing suficiente para o cartão de visita, mas ser inaugurada por um primeiro-ministro - poucos chefes de Governo terão inaugurado queijarias -, veio a revelar-se ser a estratégia acertada.

Pedro Passos Coelho visitou o espaço e falou para as câmaras, transformando a inauguração da queijaria do senhor Sebastião num assunto nacional. Tudo porque decidiu elogiar publicamente um filho da terra, Manuel Dias Loureiro de seu nome.

"Um homem que é aqui de Aguiar da Beira, mas que conheceu mundo, é um empresário bem-sucedido, viu muitas coisas por este mundo fora e sabe, como algumas pessoas em Portugal sabem também, que se nós queremos vencer na vida, se queremos ter uma economia desenvolvida, pujante, temos de ser exigentes, metódicos", disse, ignorando qualquer envolvimento de Dias Loureiro no caso BPN.

Entre a bizarria e a surpresa

A frase apanhou o País de surpresa. E o PSD - e o Governo - também. "Achei uma bizarria. Não consegui entender bem", afirmou um antigo dirigente do partido à VISÃO. "Nem eu, nem ninguém, percebeu isso", respondeu um deputado. "Ficámos todos perplexos. Não era preciso", acrescenta Luís Rodrigues, ex-líder da distrital de Setúbal do PSD.

Luís Rodrigues deixa uma sugestão: "Gostava que o primeiro-ministro explicasse o porquê do elogio àquela pessoa nesta altura. Porque é que ele acha que aquele é um grande exemplo? Não tem nada a ver com o caso BPN? Mesmo internamente, não sei o que é que Pedro Passos Coelho ganha com isto."

Um social-democrata próximo do primeiro-ministro explica que isto mostra que eles "devem ter uma relação antiga e que Passos não ignora os amigos, como fez com Miguel Relvas ao colocá-lo no primeiro lugar da sua lista ao Conselho Nacional do partido".

Apesar de o primeiro-ministro não ter feito mais comentários sobre o assunto, rapidamente se espalhou a suspeita de que Dias Loureiro, ex-ministro e ex-conselheiro de Estado de Cavaco, o estaria a ajudar, em matéria de estratégica política, como fez em tempos. Ouvido pelo Expresso, Dias Loureiro negou: "Conselheiro de Passos? Não vou a São Bento há anos."

Parecer sempre elegante

A amizade entre os dois é antiga. Conhecem-se desde o cavaquismo - o Expresso recorda que Dias Loureiro chegou a empregar a ex-mulher de Passos como sua secretária no Ministério da Administração Interna - e mantiveram a proximidade enquanto Passos ascendia à chefia do Governo. Os encontros, por vezes ao jantar, realizavam-se em casa de Miguel Relvas, com quem Dias Loureiro mantém uma sólida amizade.

Este contexto leva Telmo Faria, ex-autarca do PSD, a dizer à VISÃO que o elogio foi "um descuido de quem gosta sempre de parecer elegante". "Mas não há ali uma cumplicidade socrática. Se, numa escala de 1 a 10, António Costa visitar Sócrates é 10, um elogio circunstancial destes vale 1 ou 2. Foi um erro, entre outros que vão aparecer. Quem cometer menos, ganha." A campanha está na estrada.